in

União Europeia vai banir produtos que causem a desflorestação

Foto Shutterstock

A Comissão Europeia será muito mais rigorosa no controlo da importação de “produtos do sul“, como madeira, café, cacau e soja. Os importadores terão de certificar que o seu cultivo não contribuiu para a desflorestação.

As novas regras de importação são a medida mais marcante de toda uma série de iniciativas que a Europa toma no sentido da proteção do ambiente, do clima e da biodiversidade.

Para além da China, a União Europeia é o maior consumidor mundial de soja, carne de bovino, óleo de palma, madeira, cacau e café. O cultivo de todos estes produtos envolve frequentemente a destruição das florestas. Apesar dos acordos voluntários e da introdução de todo o tipo de rótulos de qualidade, 178 milhões de hectares de floresta desapareceram, em termos líquidos, nos últimos 30 anos, calcula a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), sensivelmente, a superfície total de França.

 

Rastreabilidade

O novo regulamento estabelece que os importadores dos produtos referidos, mas também os produtos secundários, como o couro, o chocolate e o mobiliário, terão de apresentar provas de que estes não contribuem para a desflorestação e, por conseguinte, provêm de terras agrícolas já existentes. Por outras palavras, as matérias-primas devem ser rastreáveis para deixar claro de onde vieram. Cabe às empresas realizar as devidas diligências na sua cadeia de abastecimento, enquanto os Estados-membros serão responsáveis pela realização de inspeções.

Publicidade

Transporte marítimo

Altas taxas de frete lançam sombra sobre a recuperação económica

Nestlé

Nestlé pretende quase duplicar vendas através do e-commerce até 2025