in ,

Mil milhões de euros em comida desperdiçada todos os dias antes de chegar às lojas

De acordo com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), 363 mil milhões de euros em alimentos são desperdiçados, todos os anos, antes mesmo de chegar às prateleiras. A deficiente infraestrutura de armazenamento é a maior culpada.

O maior desperdício ocorre no sul da Ásia, América do Norte e Europa. Na Ásia Central e do Sul, pouco mais de um quinto dos alimentos produzidos são perdidos, enquanto a contagem global fica em 14%. A Nova Zelândia e a Austrália pontuam melhor com uma perda de 5,8%.

As principais perdas devem-se à infraestrutura inadequada de armazenamento nas quintas, ou seja, nas próprias instalações do produtor. Muitas vezes, os alimentos não são suficientemente protegidos de microorganismos, insetos e roedores. Segundo Carola Fabi, chefe de estatística da FAO, os agricultores nem sempre têm os meios para investir em melhores infraestruturas e técnicas. “Nesses casos, é necessária ajuda pública“, cita o jornal belga De Standaard.

Até 2030, as Nações Unidas pretendem reduzir o desperdício de alimentos por pessoa pela metade. “A perda de alimentos exerce pressão desnecessária sobre o meio ambiente e as matérias-primas usadas para produzir os alimentos“, diz o diretor-geral da FAO, Qu Dongyu. “Essencialmente, isso significa que as matérias-primas foram desperdiçadas, a poluição foi criada sem motivo e os gases de efeito estufa foram emitidos“.

Publicidade

Publicidade

Lidl acelera o lançamento do seu serviço de pagamentos

Vinhos da Adega de Palmela a bordo dos voos da Tap Air Portugal