in

Sustentabilidade altera o planeamento das empresas para inovar no desenvolvimento de embalagens

A Smurfit Kappa deu a conhecer os resultados da segunda parte do inquérito “Sustentabilidade e rentabilidade: à procura do equilíbrio”, realizado a 200 altos quadros de empresas e a 1.500 consumidores do Reino Unido. Estes evidenciam que a sustentabilidade incentiva todas as atividades de I+D e de desenvolvimento de novos produtos em mais de um terço das empresa e está a transformar os programas de inovação, já que as empresas estão a voltar a planear o design dos seus produtos e soluções de embalagem, num esforço por enfrentar o problema que representa a presença de resíduos no ambiente.

O estudo também demonstra que as empresas se estão a centrar especificamente na embalagem como oportunidade chave para inovar e que sete em cada dez organizações mencionam que os materiais utilizados na embalagem são a sua principal dificuldade para adotar práticas de sustentabilidade, seguidos da recolha e da reciclagem (59%) e dos materiais utilizados para fabricar produtos (56%). Além disso, quase nove em cada dez empresas afirmam que os seus produtos ou embalagens integram materiais usados ou reciclados como parte das suas estratégias de sustentabilidade.

Arco Berkenbosch, vice-presidente de Inovação e Desenvolvimento da Smurfit Kappa, comenta que “esta investigação demonstra que, atualmente, as empresas têm de abordar a sustentabilidade num cenário económico difícil e que os consumidores vão continuar a incentivar os programas de sustentabilidade. Os fornecedores podem adotar muitas soluções simples da indústria global da embalagem sem incorrer em custos consideráveis, como, por exemplo, reduzir a quantidade de embalagens vazias no canal de e-commerce e o uso de plásticos ao transportar bens na cadeia de fornecimento. Demo-nos conta de que há uma procura crescente pelos produtos da nossa carteira Better Planet Packaging que são alternativas sustentáveis aos plásticos de utilização única”.

 

Consumidores consideram design da embalagem

O inquérito também revela que 37% dos consumidores consideram que o design da embalagem é um fator importante ao tomar uma decisão de compra e deixa patente que mais da metade dos utilizadores finais comprou, nos últimos seis meses, um produto específico, porque a embalagem era reutilizável ou biodegradável, demonstrando, uma vez mais, o seu nível de consciencialização sobre as embalagens das marcas.

Desta forma, os consumidores continuam a orientar a atitude das organizações para as práticas sustentáveis, como bem assinala o relatório, que evidencia que oito em cada dez empresas consideram que a sustentabilidade é um investimento a longo prazo e não um custo.

Para saber mais sobre os resultados do inquérito, pode consultar o relatório “A sustentabilidade transforma o panorama empresarial definitivamente”, disponível aqui.

Nestlé Professional

Campanha “Sabe Pela Vida” desafia consumidores a regressarem aos cafés, hotéis e restaurantes

Garland

Garland aposta na distribuição nacional