in

Sears autorizada pelo tribunal a vender lojas para tentar salvar negócio

Atualmente em processo de insolvência, a histórica cadeia norte-americana de grandes armazéns Sears foi autorizada pelos tribunais a vender ativos de modo a tentar salvar o negócio, não obstante prosseguir a avaliação de uma eventual liquidação.

A retalhista de 125 anos, que declarou insolvência no mês passado, enfrenta a oposição no seu plano de venda de ativos de alguns credores, que alegaram em tribunal que é uma situação financeiramente mais desvantajosa que a liquidação do negócio.

Para apaziguar estes credores, os advogados da Sears confirmaram que, não obstante esta predisposição para a venda de lojas, prossegue a avaliação das propostas que cheguem para a compra e total liquidação da empresa. “Reconhecemos que a tarefa para salvar o negócio não é fácil”, afirma Ray Schrock, um dos advogados da Sears.

A cadeia de grandes armazéns emprega cerca de 68 mil pessoas. Em meados de dezembro, terá de encontrar um comprador para as suas cerca de 500 lojas remanescentes e outros ativos. A Sears tinha já anunciado os planos para fechar 180 pontos de venda e o seu chairman, Eddie Lampert, um bilionário que gere o fundo ESL Investments, tem estado ativamente a trabalhar para encontrar financiamento que permita mantê-la no negócio, segundo os documentos entregues no tribunal. O gestor, que era diretor executivo da empresa até à declaração de insolvência, injetou milhares de milhões de dólares, ao longo dos anos ,e pretende usar parte desse capital que lhe é devido para financiar a sua própria oferta pelos ativos.

Publicidade

Publicidade

note! já conta com mais de 50 lojas no país

Jerónimo Martins consegue financiamento para abrir mais lojas na Colômbia