preços
in

Roménia vulnerável à opinião de investidores internacionais

A Crédito y Caución prevê uma desaceleração do crescimento da Roménia, em 2020, devido ao arrefecimento das exportações e da procura interna.

Após dois anos de crescimento sólido, os estímulos fiscais – reduções de impostos, aumento do salário mínimo e dos salários no sector público – estão a diminuir os seus efeitos no consumo das famílias.

A dívida pública da Roménia permanece moderada, abaixo de 40% do PIB, mas o défice orçamental aumenta desde 2016, devido à política fiscal expansiva, o que leva a Crédito y Caución a prever que, em 2019 e 2020, continue o seu aumento para cerca de 3,5 % do PIB.

Os desequilíbrios macroeconómicos também afetam o défice em conta corrente, que permanecerá acima de 4% do PIB, em 2019 e 2020, devido à elevada procura por importações e ao menor crescimento das exportações. A moeda está sujeita a alguma volatilidade e o país permanece vulnerável às saídas de capital derivadas da opinião dos investidores internacionais.

O sector financeiro romeno, embora tenha melhorado a sua posição, permanece sujeito a um elevado risco de crédito decorrente dos desajustes nas taxas de câmbio e do baixo crescimento do crédito. A população está em declínio e a envelhecer, num contexto de instabilidade, excessiva burocracia e corrupção que dificulta o investimento estrangeiro.

Riberalves completa gama de Bacalhau Pronto a Cozinhar

Empresa líder no combate ao desperdício na Europa lança novo serviço em Portugal