in ,

Produtos solares crescem mais de dois milhões de euros nos últimos quatro anos

Numa época em que 43% das vendas de bens de grande consumo são realizadas com base em promoções, a categoria de produtos solares consegue superar largamente esses valores, sendo a mais promocionada do mercado em Portugal, na medida em que 7,2 euros em cada 10 euros foram vendidos com promoção associada (72%).

A forte atividade promocional leva a que os consumidores antecipem a compra deste tipo de produtos. Se em 2010 o período entre maio e agosto representava 76% das vendas, hoje representa 67%, de acordo com a Nielsen.

As marcas antecipam as ações promocionais com campanhas muito agressivas, por forma a garantir a penetração e  o seu espaço nas decisões do consumidor. Este cenário tem também contribuído para uma ligeira alteração da geografia da categoria, uma vez que a região sul tem vindo a perder peso (representava 24,1% das unidades vendidas em 2011 e em 2015 21,5%) quando comparado com os centros urbanos e as regiões mais a norte.

De uma maneira geral, os portugueses estão hoje mais conscientes dos perigos do sol e os protetores solares tiveram, nos últimos quatro anos, um crescimento de mais de dois milhões de euros. De acordo com a Nielsen, foi registado em 2011 um valor de faturação de 18.300 milhões de euros e em 2015 20.230 milhões de euros.

Este crescimento verifica-se essencialmente nos índices de proteção mais elevados, tendo as vendas de produtos com IP50+ aumentado cerca de 11% face a 2011. A situação inversa verifica-se nos índices de proteção mais baixos, assim como nos autobronzeadores que, ao longo dos anos, têm vindo a perder importância. A preocupação com os mais novos também está bem presente, na medida em que os protetores solares para criança também apresentaram um crescimento de 580 mil euros, na ordem dos 15% (3.700 mil euros em 2015 face a 3.120 mil euros em 2011).

Os cuidados com o rosto também estão no top das preocupações, tendo estes produtos apresentado, no último ano, um aumento de 325 mil euros (um milhãode euros em 2015 face a 675 mil euros em 2014). Após a exposição solar, os portugueses têm mostrado que os cuidados com o cabelo são fundamentais, tendo, em 2015, este tipo de produtos aumentado 68% em vendas de unidades, comparativamente com 2014.

Cláudio Baptista Client Services Associate Manager da Nielsen, refere ainda que, “por vezes, a preocupação do consumidor não se fica apenas pela proteção solar, procurando um atributo extra, sendo neste caso a hidratação o fator preferencial (17,5% de todas as unidades vendidas em 2015), assim como os produtos específicos para peles sensíveis que também têm o seu espaço ao nível dos atributos mais procurados pelos consumidores”.

Publicidade

Grupo ALDO avança no comércio omnicanal com soluções SAP Hybris

Samsung cria campanha digital para a Add Wash