in

Procura por soluções “on the go” impulsa venda de produtos tipo snack

A procura por alimentos e bebidas de conveniência e a tendência “on the go” estão a impulsionar as vendas de produtos tipo snack na Europa, de acordo com a consultora IRI, que analisou as categorias de grande consumo mais vendidas em 2017 nos seis principais mercados (Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Espanha e Holanda).

O crescimento dos snacks está a ser impulsionado pelo estilo de vida acelerado dos consumidores e pela sua preferência por comer enquanto se deslocam. No total, os alimentos conservados a temperatura ambiente somaram vendas de 96 mil milhões de euros, num crescimento de 1,4%. Alemanha e Holanda destacaram-se com acréscimos de 2,3% face ao ano anterior.

As batatas fritas e os snacks salgados, com vendas de 6.300 milhões de euros, foram o principal impulsionador desta evolução, estando no top 10 do crescimento absoluto em todos os mercados analisados, exceto dois.

Mas a saúde e o bem-estar estão também a ganhar importância junto dos consumidores e a influenciar as suas opções, ajudando a fomentar o crescimento dos produtos orgânicos, vegetarianos e sem glúten. Deste modo, os consumidores estão a optar por produtos mais ligeiros, sendo a fruta distribuída à peça, os frutos secos, as batatas feitas no forno ou os chips vegetais os seus snacks preferidos. O crescimento de dois dígitos nestes últimos, por exemplo, está a ser catalisado pelo desenvolvimento de novos produtos, como as raízes de vegetais, variantes de arroz e lentilhas, por parte tanto das marcas de nicho como das marcas mass market.

A IRI revela também que os volumes de água mineral engarrafada estão a crescer acima das colas em todos os países (3,3% versus -3,4%), o que indica que mais consumidores estão a optar por reidratar-se e eliminar toxinas tendo em conta o seu bem-estar geral. “A nossa análise das macro categorias mais vendidas em 2017 proporciona alguns desenvolvimentos interessantes quanto à mudança de perfil do comprador europeu. O acesso rápido e fácil às opções de comida e bebida está a ganhar importância, pelo que tanto os fabricantes como os distribuidores terão de maximizar as oportunidades nesse âmbito. A portabilidade e a embalagem com fecho hermético, por exemplo, são vantagens cada vez maiores para dar comodidade ao consumidor ‘on the go’. Mas necessitam de equilibrá-lo com a procura de opções mais saudáveis, já que os snacks açucarados se estão a perder atratividade junto dos shoppers, e oferecer alternativas mais adaptadas para comer qualquer coisa sem remorsos, como os frutos secos, as sementes e a fruta”, defende Olly Abotorabi, Senior regional Insights Manager da IRI.

Publicidade

Luís Simões integra novo Conselho Consultivo do Instituto Internacional San Telmo

Amb3E aposta na conquista de aderentes com a contratação de Vânia Filipe