in

Primeira loja Mercadona em Portugal abre portas a 2 de julho

150 lojas em 8 anos. Aquisições fora de questão

A loja do Canidelo, em Vila Nova de Gaia, será a primeira das 10 lojas que a Mercadona prevê abrir, este ano, em Portugal e já tem data marcada: 2 de julho. Seguem-se Matosinhos, Maia e Gondomar, também em julho, ao ritmo de uma por semana. As restantes seis abrirão em Ovar, São João da Madeira, Braga e Barcelos. Vila Nova de Gaia receberá ainda outro espaço e o Porto um, perto da rotunda da Boavista.

O anúncio foi feito por Juan Roig, presidente da cadeia, na apresentação dos resultados referentes ao ano de 2018, que adiantou que, desde 2016, ano em que anunciou a sua internacionalização, a Mercadona já investiu 160 milhões de euros na sua vinda para Portugal. “Em 2019, investiremos o que for necessário”, garantiu.

Com a data da primeira abertura conhecida,  foram esta terça-feira confirmadas as ambições deste primeiro investimento internacional: “vamos descendo, com o tempo, em direção a Lisboa, abrindo lojas pelo caminho”. A meta é atingir 150 a 200 lojas em Portugal, no espaço de sete a oito anos, 70 das quais na região norte, onde já existem mais 10 lojas, para além das já conhecidas, em projeto. O presidente da Mercadona indicou que a ideia é ver como corre a aceitação ao conceito no Porto. “Se não correr bem teremos que fechar”.

O plano de expansão orgânico descarta, desde logo, a compra de qualquer operador. “Não vamos fazer qualquer aquisição em Portugal. Está fora de questão. Estamos concentrados, sim, em conhecer muito bem o consumidor português”.

As 10 lojas que a Mercadona pretende abrir em Portugal, este ano, vão funcionar ao domingo, ao contrário do que sucede em Espanha. “Em Portugal, vamos abrir aos domingos pois o ‘chefe’ português assim o exige. Em Espanha, não o iremos fazer. Em Portugal, está em causa o segundo dia de maiores vendas“.

Esta é, de resto, uma das razões que justificam mil colaboradores em Portugal até ao final do ano, em vez dos 650 inicialmente previstos.

50% do cardex disponível nas lojas portuguesas da Mercadona será distinto do apresentado em Espanha, não obstante o modelo trazido para Portugal procurar replicar ao máximo o que está a ser feito em Espanha. Daí que também as lojas portuguesas irão acolher a solução de pronto a comer onde a cadeia está a apostar fortemente este ano. Até porque, de acordo com Juan Roig, o pronto a comer nas grandes superfícies está muito mais desenvolvido em Portugal do que em Espanha. “Continente e Pingo Doce têm feito um grande trabalho nessa matéria“, afirmou.

Já com 203 milhões de euros em compras a fornecedores nacionais, desde 2016, 88 milhões de euros só em 2018 (+40%), montante que tenderá a aumentar com a consolidação do projeto de expansão, a Mercadona afirma o “orgulho de ter a bandeira portuguesa” nas lojas. “Assinalamos este ano as primeiras aberturas de lojas em Portugal, um projeto para o qual partimos com muita expectativa e no qual acreditamos muito“, conclui Juan Roig.

* em Valência

Publicidade

Publicidade

Vendas da Mercadona crescem 6% para os 24.305 milhões de euros

Gotik Gin – Edição São Francisco eleito Produto do Ano 2019