in

Parlamento Europeu vota avisos de saúde nos rótulos do vinho

Imagem Shutterstock

O Parlamento Europeu quer que os rótulos dos vinhos reportem o risco de cancro, como acontece nos maços de tabaco.

A possível decisão resulta do relatório final elaborado pela Comissão Especial para a Luta contra o Cancro, um grupo de trabalho formado pelo Parlamento Europeu em 2020, onde o álcool é referido como um fator de risco para inúmeros tipos de cancro, salientando que, para prevenir, “não há um nível seguro de consumo“. Nesse sentido, exige medidas como a inclusão de avisos sanitários na rotulagem e a ponderação de um aumento dos impostos sobre as bebidas alcoólicas.

 

Sector dos vinhos teme aumento de impostos

A proposta é esta terça-feira, dia 15 de fevereiro, debatida e votada e o sector dos vinhos receia o possível aumento dos impostos. Em declarações à Executive Digest, Frederico Falcão, presidente da ViniPortugal, sublinha que “alguns aspetos deste relatório danificam de forma gravosa a imagem e prestígio do sector vitivinícola, a nível nacional e europeu. A cultura do vinho faz parte dos nossos valores enquanto europeus, é uma bebida inserida na dieta mediterrânica e acreditamos que a aprovação deste relatório, com a atual redação, irá danificar todo o trabalho que este setor tem feito ao longo dos últimos anos”.

Entre as preocupações da ViniPortugal, no que concerne este relatório, está o facto de considerar que qualquer consumo de álcool é nocivo para a saúde, pelo que o termo “consumo de álcool” deverá ser substituído por “consumo abusivo de álcool”.

Além disso, a incorporação de advertências sobre o impacto do consumo nos rótulos, “para além de denegrir todo o setor e a sua imagem, seria muito injusta por não tomar em consideração as centenas de estudos sobre os efeitos do consumo moderado de vinho na saúde”.

O relatório inclui ainda o debate sobre a carga fiscal dos produtos vinícolas, o que, no entender da ViniPortugal, “traria enormes problemas sociais e económicos” dada a importância deste produto na economia regional do interior do país.

Publicidade

Imposto sobre o açúcar leva a queda de 12,5% nas vendas de refrigerantes

Consumidor

Produtos alimentares com menos 11% do teor de sal e açúcar em três anos