in

O que vai marcar o e-commerce nos próximos anos?

Foto Shutterstock

Realidade aumentada, processamento de linguagem natural, venda móvel, softwares inteligentes, integração digital e gestão automatizada da documentação são, segundo os especialistas em tecnologia do eBay, as ferramentas que marcarão a próxima década no e-commerce.

Saber como determinada peça de roupa serve ou passear por um museu sem sair de casa são apenas alguns exemplos de como a realidade aumentada está a ser integrada nas empresas, com o objetivo de melhorar a experiência e aproximar-se do cliente. De acordo com Jake Jall, diretor de aplicações móveis, os negócios estão a começar a lançar no mercado dispositivos de realidade aumentada que vão mudar a forma como os utilizadores interagem com o seu meio ambiente e com a Internet.

Outra das ferramentas em destaque é o Processamento de Linguagem Natural, ou PNL, a área de conhecimento da inteligência artificial que estuda a forma de comunicação entre máquinas e pessoas. Ellis Luk, gestor de produtos móveis, sublinha que o PNL pode ser uma ferramenta de trabalho extremamente útil para os negócios que tenham os seus produtos em plataformas digitais. O PNL é capaz de processar a informação externa, analisá-la e elaborar as descrições do catálogo de produtos oferecidos pela empresa mediante o ambiente online.

O auge de ferramentas como o Flutter, que permitem criar apps móveis compatíveis, possibilita a conceção de aplicações que, para além de alinhadas com a estratégia de negócio, se adaptam às características do dispositivo móvel do utilizador. Por isso, o engenheiro de software Larry McKenzie antecipa que, graças à flexibilidade desta nova tecnologia, as empresas verão crescer o seu comércio móvel.

A integração, num único software, de todas as ferramentas necessárias a cada uma das áreas do negócio permite ganhar agilidade nos processos. Hanzhang Wang, membro da equipa de investigação aplicada, assegura que, este ano, muitas empresas integrarão a engenharia de software inteligente nos seus sistemas, o que as ajudará a construir, desenvolver e manter serviços mais eficientes e sustentáveis no curto e longo prazo. Esta inovação beneficiará, sobretudo, as plataformas de comércio eletrónico, ao permitir propor recomendações mais complexas e com maior valor, pois potenciam a personalização através de informação mais consistente, especializada e automatizada.

Por seu turno, Tanaya Suveerachainmontain, gestora de produto, acredita que, este ano, as pequenas e médias empresas se darão conta do valor do comércio digital para o consumidor. “As empresas que aprendam a combinar o processo de compra tradicional com a comodidade digital terão mais controlo sobre a experiência do cliente durante todo o processo de compra e ganharão uma maior fidelização, tanto na compra através das aplicações, como na loja física”.

Finalmente, Ron Raiven, diretor geral da eBay Motors, defende que este ano se irá experimentar uma melhoria na experiência de compra, já que empresas como os concessionários automóveis irão digitalizar todos os seus processos, de modo a oferecer uma maior e melhor experiência integrada.

Publicidade

Publicidade

ECO lança nova garrafa reutilizável de 1,5 litros para mercado retalho

Mercadona é a empresa mais responsável da distribuição generalista em Espanha