ColchaoNet interior loja
in

“O desafio vai prender-se com a internacionalização do negócio”

A ColchaoNet reforçou a sua presença no Sudoeste Retail Park com a abertura de uma nova loja física e que elevou para 31 lojas o número de espaços explorados pela marca. Que apesar de continuar a reafirmar a preponderância dos espaços físicos na promoção do descanso e do bem-estar, tem procurado trabalhar o digital de forma mais ambiciosa de forma a implementar uma estratégia omnichannel capaz de convergir a realidade digital e física. Um dos muitos passos ambiciosos que a marca quer dar, com o horizonte a cinco aos a trazer a “internacionalização sólida que permita levar o negócio, 100% português, além-fronteiras”, como garante Luís Fialho, diretor geral da ColchaoNet.

 

Grande Consumo – A que se deveu a aposta na abertura da loja do Sudoeste Retail Park? Que objetivos tem associada? Era importante estar fisicamente no Algarve (se é que não estavam antes)?

Luís FialhoJá tínhamos uma loja no Algarve e, ao considerarmos esta região de imenso potencial, quando soubemos que iria abrir o maior Retail Park do Algarve quisemos lá estar também.

Estar cada vez mais perto do cliente e num formato de grandes lojas, como é o caso desta nova unidade, é o nosso objetivo. Assim esta nova loja vamos conseguir reforçar a nossa presença no Algarve como verdadeiros especialistas no sector de descanso, oferecendo uma maior e melhor seleção de artigos, e sempre com um serviço de excelência, com atendimento personalizado através de uma equipa de verdadeiros profissionais.

 

GC – O que é esta nova loja veio conferir à operação da ColchaoNet? Que impacto poderá ter na faturação a empresa? Que montante foi aplicado na sua abertura?

LFEsta nova abertura permite-nos disponibilizar uma “mega store” com aproximadamente 500 metros e onde se pode encontrar cerca de meia centena de camas e colchões. Assim, apresentamos ao cliente uma grande variedade de soluções que garantem um descanso ideal e que se adaptam as necessidades, preferências e conforto de todos os clientes que nos visitem.

A nova loja representou, para a empresa, um investimento de aproximadamente 300 mil euros.

Luís Fialho - diretor geral ColchaoNet
Luís Fialho, diretor geral ColchaoNet

GC – Prevêem abrir ainda mais lojas este ano?

LFSim, pretendemos abrir mais três ou quatro novas lojas. e o nosso objetivo passa por aumentar o número de lojas em Portugal com a intenção de estarmos presentes em todos os distritos. Queremos, de facto, por todos os portugueses a dormir melhor.

 

GC – Falar de rede de lojas ColchaoNet é falar de que realidade? Quantas lojas têm, neste momento, em funcionamento?

LFFalar da ColchaoNet é falar de 17 anos de história. Somos, atualmente, a maior rede de lojas especialistas em descanso de Portugal e contamos com 31 lojas do Minho ao Algarve e uma equipa que supera as 80 pessoas.

Com capital 100% português, a marca distingue-se pelos seus recursos humanos altamente especializados e pelo serviço que presta ao cliente, uma vez que ao representar e comercializar as principais marcas distintas de colchões e outros produtos do setor do descanso, oferece o produto adequado a cada tipo de consumidor.

 

GC – A rede de lojas presentemente detida e explorada deixa-vos satisfeitos? Ou pretendem alargar presença a outras regiões do país? Se sim, quais são?

LFSomos líderes entre os especialistas de descanso a nível nacional, é uma posição que muito nos orgulha e que nos traz grande responsabilidade. No entanto, conforme referido, pretendemos continuar a crescer e alargar a presença em regiões como a zona Centro e no interior do país, porque apesar de estarmos presentes em grande parte do território nacional – do Minho ao Algarve – são regiões nas quais acreditamos ter margem para crescer.

 

Um verdadeiro especialista de descanso ainda está associado a lojas físicas, onde o cliente pode ter um atendimento personalizado, experimentar várias soluções de conforto e verificar qual o produto que se adapta melhor às suas características e necessidades de acordo com os conselhos dos nossos profissionais.

 

GC – O “descanso” ainda é uma categoria muito associada ao retalho físico? Ou o online tem vindo a reforçar a sua preponderância também na comercialização de camas e colchões?

LFUm verdadeiro especialista de descanso ainda está associado a lojas físicas, onde o cliente pode ter um atendimento personalizado, experimentar várias soluções de conforto e verificar qual o produto que se adapta melhor às suas características e necessidades de acordo com os conselhos dos nossos profissionais. Mas sabemos o grande crescimento que o online tem em todas as áreas de negócio e no qual a ColchaoNet também cresceu muito nos últimos dois anos. Estamos a finalizar uma reestruturação ao nosso site para que possa corresponder melhor ao que os nossos clientes procuram e onde vamos ter uma gama diferenciada e adaptada a esse canal de venda.

Uma ligação forte entre o retalho físico e o online é a estratégia que desejamos seguir e que é já prática comum dos especialistas de descanso por todo o mundo.

 

GC – A pandemia foi um bom “teste de stress” à operação online da marca? Isto apesar de não se comprarem camas e colchões todos os dias…

LFA pandemia foi um “teste” para todas as áreas de negócio e para a ColchaoNet que viu as suas 30 lojas físicas encerradas aproximadamente 6 meses durante os dois momentos de confinamento de 2020 e 2021. Foi um grande desafio. A exemplo de outros setores existiu uma alteração de hábitos de consumo com um aumento da procura online e foi em resposta a essa mudança que adaptámos, e reforçámos a nossa presença online, obtendo um crescimento de cerca de 35% nas vendas online.

 

GC – Esta é uma categoria ainda muito tangível? Ou cada vez mais se assiste à digitalização deste negócio? Os consumidores gostam de experimentar/ver antes de tomar uma decisão? Ou o online passou a ser o novo showroom?

LFAinda consideramos a categoria de especialistas de descanso muito tangível, um produto que nos pode trazer bem-estar e mais saúde é importante que passe por um atendimento e aconselhamento presencial e personalizado, bem como pela experiência em loja.

Mas a verdade é que se assiste, cada vez mais, a essa digitalização do negócio, em que o online passa a ser também um showroom onde se pode fazer uma primeira análise e é esse caminho que estamos a preparar e a seguir.

 

Ainda consideramos a categoria de especialistas de descanso muito tangível, um produto que nos pode trazer bem-estar e mais saúde é importante que passe por um atendimento e aconselhamento presencial e personalizado, bem como pela experiência em loja

 

GC – Quais são, no vosso entender, os principais desafios do retalho moderno?

LF – O setor do retalho está há dois anos a viver um período de autêntica mutação que, para se manter competitivo, não pode deixar de olhar para a tecnologia, em particular para o e-commerce como uma extensão do seu negócio.

É um setor que lida diretamente com o consumidor final e, por isso, deve estar especialmente atento às novas exigências e tendências de consumo.

As vendas online e o acompanhamento do cliente à distância são fundamentais e trazem inúmeras vantagens para as marcas, que podem, através de um clique, motivar compras, aproximar clientes e chegar além das suas fronteiras físicas. Os produtos disponíveis devem estar em atualização constante, o e-commerce deve ser otimizado para acesso através de dispositivos móveis, e deve garantir-se o acompanhamento ou esclarecimento virtual de qualquer questão no momento da compra – fatores que temos procurado sempre garantir e melhorar. Por este motivo estamos inclusive a preparar um novo e-commerce adaptado às novas tendências do mercado.

Outro grande desafio da atualidade prende-se com a necessidade de adaptarmos, inevitavelmente, o contacto com o cliente às suas necessidades. Os consumidores procuram cada vez mais produtos únicos e exclusivos, que respondam às suas necessidades reais e, por isso mesmo, dispomos, em todas as lojas, de equipas formadas e especializadas em descanso que têm vindo a desenvolver conhecimentos técnicos acerca dos produtos que comercializamos e, principalmente, competências para um atendimento personalizado e que procura saber qual a melhor solução para cada cliente. A título de exemplo, a posição em que dorme, peso e altura e muitas outras variáveis fazem depender as características do colchão que vamos aconselhar ao cliente, independente da marca.

ColchaoNet Interior loja 2

CGC – Ao fim de 15 anos de percurso, a ColchaoNet encontra-se onde deveria estar em termos do seu plano de negócios?

LFAcabámos de celebrar 17 anos, neste mês de julho, e de facto acreditamos que foram anos muito profícuos e de grande crescimento. Estamos presentes em todo o território de Norte a Sul do país, conseguimos dar respostas adequadas e personalizadas a todos os clientes e, mesmo durante o período crítico de encerramento de lojas físicas, mantivemos o crescimento.

Agora pretendemos continuar a expandir a nossa marca territorialmente e, daqui a 5 anos, prevemos arrancar com uma estratégia de internacionalização sólida que permita levar o negócio – 100% português – além-fronteiras.

 

GC – Como se vai preparar o futuro da marca? Como poderão ser os próximos cinco anos?

LFA nossa intenção é reforçar, cada vez mais, a capacitação dos nossos recursos humanos para que a resposta às necessidades do cliente seja sempre a mais adequada possível. Também a reestruturação da nossa loja online, de modo garantir que estamos constantemente atualizados e na vanguarda das inovações da área faz parte dos nossos planos a curto prazo.

Pretendemos também nas lojas implementar uma estratégia de omnichannel que nos permita ter a total a convergência do virtual e do físico.

Já nos próximos cinco anos, conforme referido, o desafio vai prender-se com a internacionalização do negócio para novos mercados potenciais onde queremos instalar as nossas lojas.

 

Pretendemos também nas lojas implementar uma estratégia de omnichannel que nos permita ter a total a convergência do virtual e do físico. Já nos próximos cinco anos, conforme referido, o desafio vai prender-se com a internacionalização do negócio para novos mercados potenciais onde queremos instalar as nossas lojas

 

GC – O que seria um bom fecho do presente exercício para a ColchaoNet?

LFMantermos a cadência de crescimento dos últimos anos. O período pandémico foi extremamente desafiante para todas as empresas e negócios, no entanto a ColchaoNet aproveitou o momento para transformar uma ameaça em oportunidade. Reforçámos as vendas online dos nossos produtos e acreditamos, também, que o facto da população ter passado mais tempo nas suas casas levou a valorizar de outra forma o conforto.

Apesar de termos tido as lojas físicas encerradas durante um grande período de tempo, de janeiro a abril do ano passado, não baixámos os braços e mantivemos a atenção redobrada às exigências de mercado. A nossa loja online esteve a todo o vapor durante os confinamentos impostos e conseguimos manter as entregas a tempo e horas e reforçar a qualidade do nosso serviço. Entre 2020 e 2021, conseguimos, inclusive, aumentar a nossa faturação em 7%.

Uber Eats

Uber Eats lança pontos de entrega virtuais mais convenientes nas praias

Arroz Oriente

Arroz Oriente apresenta nova imagem e uma embalagem 100% em papel