in

Nestlé junta os seus esforços a Lisboa em prol de um país mais sustentável

A Nestlé Portugal subscreveu ontem o Compromisso Lisboa Capital Verde 2020 – Ação Climática Lisboa 2030, promovido pela Câmara Municipal de Lisboa.

Pioneira em muitas das práticas sustentáveis que implementa em Portugal, apoiadas por um investimento financeiro de cerca de nove milhões de euros realizado nos últimos anos, a Nestlé apresentou os seus compromissos em áreas como o uso sustentável da energia e da água ou práticas de mobilidade verde e de economia circular. “Aceitámos entusiasticamente o convite que nos foi dirigido pelo senhor presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Acreditamos que as empresas, especialmente as grandes empresas, devem contribuir com medidas concretas para que as cidades e o país possam evoluir na direção de um futuro mais sustentável. Somos parte ativa da comunidade lisboeta e queremos contribuir com a parte que nos diz respeito, estendendo esse impacto a todo o país, porque estamos presentes em muitas comunidades. Os projetos que estamos a desenvolver dão-nos a confiança de que conseguimos partilhar valor através da nossa ‘expertise’ e abrem-nos a oportunidade de aprender a partir dos exemplos de práticas dos nossos parceiros, em projetos comuns”, refere Paolo Fagnoni, diretor geral da Nestlé Portugal.

As 32 medidas apresentadas pela Nestlé são implementadas pelos seus colaboradores e constituem um enorme capital de experiência acumulada que lhe permite afirmar um compromisso com a sustentabilidade e a economia circular.

Nos últimos anos, este esforço permitiu reduzir em 22% o consumo de energia, ao mesmo tempo que a empresa tomou a decisão de apenas comprar e utilizar energia proveniente de fontes renováveis. Outros projetos na área da energia incluem a instalação de iluminação LED em todos os centros (Nestlé Campus – sede, fábricas e centros de distribuição) e a instalação de painéis fotovoltaicos para produção de energia. Também a água, onde a Nestlé em Portugal reduziu o respetivo consumo em 68%, nos últimos anos, é um exemplo do sucesso na preservação dos recursos do planeta, em conjunto com a redução em 38% das emissões de gases com efeitos de estufa e a eliminação completa dos resíduos das suas fábricas e sede que eram enviados para aterro.

No campo da mobilidade, uma preocupação central da companhia, a Nestlé investiu em infraestruturas digitais e implementou práticas de flexibilidade laboral que permitem aos seus colaboradores trabalharem a partir de casa (ou de onde lhes seja mais conveniente). Outra medida de  sucesso foi a disponibilização de um “shuttle” para transporte de colaboradores entre vários pontos da cidade de Lisboa e o Campus Nestlé, sendo igualmente atribuído um subsídio de transporte aos colaboradores que adotem práticas de “carpooling” ou escolham utilizar o transporte público em detrimento do privado, o que já foi adotado por mais de 160 colaboradores.

A promoção da economia circular continua a ser uma das bandeiras da Nestlé, sendo uma das áreas em que os seus colaboradores se envolvem ativamente. Em 2019, a Nestlé, em conjunto com a indústria, patrocinou um projeto da Associação Industrial e Comercial do Café no sentido de estudar e concluir uma recomendação sobre a reciclagem de cápsulas de café e de outras bebidas, cujas conclusões serão apresentadas em breve. Também em 2019, a Nestlé testou com sucesso a utilização de material de ponto de venda 100% reciclável, uma prática que permite um fim de vida com valor acrescentado na economia circular. Também os seus colaboradores estiveram envolvidos em diversas ações de voluntariado com o objetivo de alterar os comportamentos de reciclagem, em especial do plástico.

No capítulo da redução do uso de plástico, a Nestlé orgulha-se de ter retirado 150 mil quilogramas de plástico das suas embalagens, em 2019, e de que todas as suas fábricas e centros de distribuição fossem, no final do ano, livres de plásticos de uso único, tais como copos, talheres, etc. Estes resultados foram conseguidos através da otimização de embalagens de diversos produtos, bem como através da retirada/substituição de materiais no canal Horeca.

Este é um caminho que a Nestlé vai continuar a percorrer e que este ano foi reforçado com o anúncio, feito pelo CEO da companhia, Mark Schneider, de um investimento até dois mil milhões de francos suíços para liderar o desenvolvimento de um mercado de plásticos reciclados de qualidade alimentar, que permita a substituição da utilização de plásticos virgens, e também para acelerar o desenvolvimento de soluções inovadoras de embalagens sustentáveis.

Quase um terço dos consumidores europeus come todas as refeições sozinho

Desafio alimentar ou sibaristas estão entre as principais tendências do consumidor em 2020