in

Michael Page apresenta tendências do mercado de trabalho para 2021

Talento é a chave na construção da força de trabalho em Portugal

Imagem Shuttertstock

A pandemia de Covid-19 acelerou as mudanças tecnológicas, criando disrupções na força de trabalho. A remuneração ou outros benefícios monetários continuam a não ser a única forma de influenciar a decisão dos candidatos, que cada vez mais procuram flexibilidade, bom ambiente de trabalho e equilíbrio entre a vida profissional e pessoal

A Michael Page analisou a evolução das tendências do recrutamento para o próximo ano no mercado português. Destaca o crescimento da área de Shared Services Centres, com a procura de profissionais especializados com boa formação académica, a transformação dos processos de recrutamento como resultado da mudança nas expectativas dos candidatos e dos empregadores e as novas abordagens nos processos de recrutamento, com foco na personalização.

 

Logistics & Supply Chain

A procura de profissionais de logística e Supply Chain conheceu um enorme incremento e encontra-se atualmente bastante dinâmica, principalmente, em sectores industriais, de retalho ou de construção. Assiste-se já a uma inversão neste mercado, onde a procura destes profissionais é já superior à oferta.

Os perfis mais procurados são essencialmente de middle management, onde se destacam as funções de Customer Service, Supervisor de Logística, Responsável de Operações ou Comprador Sénior. Também as posições de top management cresceram em procura, nomeadamente, Diretor de Operações, Diretor de Logística, Diretor de Supply Chain e Diretor de Compras.

Em relação a tendências salariais neste sector, o aumento da procura de profissionais qualificados contribuiu para o crescimento das suas expectativas salariais. De modo a reter talento, as empresas têm apostado no crescimento e mobilidade interna, na formação contínua e na oferta de diversos “fringe benefits“, como é o caso do ginásio, seguro de saúde, fundo de pensões, entre outros. A progressão salarial constante, baseada em objetivos, é também uma tendência.

 

Retalho

A Covid-19 obrigou o sector do retalho a reinventar-se rapidamente em vários aspetos. Por um lado, continuou a verificar-se uma contínua aposta na visão de proximidade para com o cliente e, por outro, observou-se um grande avanço da digitalização da operação de compra e venda, o que motivou a forte procura de perfis ligados ao sector do marketing como os perfis de e-commerce.

Neste sector, os profissionais mostram-se cada vez mais exigentes face à mudança e não valorizam apenas um acréscimo salarial, elevando-se benefícios como o horário de trabalho, a proximidade residencial ou a possibilidade de trabalhar em sistema remoto.

Em resposta, para 2021, as empresas devem preocupar-se em tornarem-se mais atrativas, não só ao nível dos seus negócios, como ao nível dos seus recursos humanos (baixas taxas de turnover, atração de talento, promoção de carreiras profissionais). Nos cargos de direção, a remuneração máxima é de 160 mil euros anuais brutos, para a função de diretor geral, na área de Lisboa.

Publicidade

Lidl "Da Minha Terra"

Projeto do Lidl de apoio a produtores nacionais reúne 180 candidaturas

John Lewis

John Lewis acaba com as suas ambições internacionais