in ,

Metade dos compradores online está disposta a pagar mais por entregas em uma hora

Quase metade (48%) dos compradores online estão dispostos a pagar pela entrega rápida das compras de supermercado e para as receber dentro de uma hora após a encomenda, revela uma pesquisa da IGD feita no Reino Unido.

A descoberta destaca o papel significativo que o canal de retalho online terá para atender às crescentes expectativas dos compradores e mudar comportamentos no futuro.

Existem alguns grupos de compradores online que mostram um interesse maior do que outros. 54% dos compradores de Londres estão interessados ​​neste serviço, em comparação com aqueles que vivem nas Midlands, no norte (49%) e no sul da Inglaterra (41%), assim como 71% dos consumidores mais jovens (18 a 24 anos), em comparação com 18% dos compradores mais velhos (mais de 65 anos) e 53% clientes de menos rendimento, em comparação com 43% dos compradores mais ricos.

Vanessa Henry, Shopper Insight Manager na IGD, refere que “muitas das expectativas crescentes dos compradores em torno do retalho online estão concentradas no aspeto de entrega dos alimentos e compras de supermercado. Uma das principais razões pelas quais os compradores escolhem fazer compras online é porque é mais conveniente e mais rápido do que fazer compras na loja, portanto, à medida que vemos mais concorrência entre os retalhistas para tempos de entrega mais rápidos e serviços mais convenientes, a próxima geração de compradores começa a emergir”.

Como o canal de mais rápido crescimento no Reino Unido, aumentando em 52% até 2023, a IGD estabelece o online como um dos melhores posicionados para atender a necessidades como estas e ajudar os consumidores a serem mais individuais, saudáveis, experimentalistas e conscientes socialmente. Mas com 47% da indústria a dizer que as suas equipas não entendem ou estão apenas a começar a entender o comércio digital, a pesquisa da IGD identifica uma oportunidade chave para aquelas que investem no online.

Simon Mayhew, Online Retail Insight Manager na IGD, afirma que “isto é mais do que apenas o online, é o futuro do retalho. Precisamos de trabalhar juntos e fazer o melhor. O retalho de produtos alimentares está a registar uma quantidade sem precedentes de alterações, impulsionadas pelas expectativas de compradores em mudança, que podem ser atendidas usando tecnologias transformadoras. Mas apenas as empresas que investem no canal online para criar uma oferta de experiência personalizada, eficiente e sem atrito, alinhada a essas necessidades cada vez maiores dos compradores, obterão sucesso no futuro”.

A oportunidade online

Atualmente, a maioria dos compradores online já espera uma experiência personalizada. 61% dos compradores de alimentos online dizem que gostariam que os retalhistas personalizassem ofertas com base no que compram regularmente.

Além de uma experiência de compra individual, os compradores online também mostram um maior nível de interesse em novos produtos, em comparação a qualquer comprador de outro canal. De facto, 80% dos compradores dizem que estão abertos a experimentar novos e diferentes produtos e serviços alimentares e não alimentares, serviços e experiências.

A pesquisa da IGD também sugere que as compras online e outras plataformas digitais têm a capacidade de oferecer suporte aos clientes com escolhas mais saudáveis. Notavelmente, 45% dos compradores online querem que os retalhistas façam sugestões de produtos mais saudáveis ​​quando fazem compras outros 63% dizem que estão interessados ​​em usar a funcionalidade do website que sugere alternativas mais saudáveis ​​para os produtos na sua cesta.

Publicidade

Sabor do Ano 2019 distingue mais de 120 produtos

10 tendências de consumo para 2019