in

“Melhores Verdes 2016” elegem seis embaixadores para os mercados externos

A Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) entregou, em abril passado, os prémios aos “Melhores Verdes 2016″.

As 25 colheitas do ano que se distinguiram nas categorias Ouro e Prata foram selecionadas por um painel de provadores nacionais e o “Best Of 2016” contou com a análise de jurados de dez países para eleger as seis referências que, ao longo do ano, serão os embaixadores da Região dos Vinhos Verdes.

Distinguidos como “Best Of 2016” foram os vinhos QG Avesso Colheita Selecionada 2015, Quinta das Alvaianas Alvarinho Colheita Selecionada 2015, Quinta das Pereirinhas Alvarinho Superior 2015, Quinta de Gomariz Grande Escolha 2015, Reguengo de Melgaço Alvarinho 2015 e Terras de Monção Alvarinho 2014.

Os “Best Of” foram provados e votados por Thomas Sommer (Alemanha), Alexandra Corvo (Brasil), Tim Appelt (Canadá), Sheryl Sauter Morano (Estados Unidos da América), Toyoo Tamamura (Japão), Simon Zimmermann (Noruega), Brian Elliot (Reino Unido), Hans Sebastian Levin (Suécia, Ursula Geiger (Suíça), Manuel Carvalho e Edgardo Pacheco (Portugal).

Os 12 vinhos prémio Ouro são o Portal da Calçada Reserva 2015, Conde Villar 2015, Tapada dos Monges Escolha 2015, Reguengo de Melgaço Alvarinho 2015, Entre Margens Arinto Colheita Selecionada 2015, Quinta do Monte Arinto Reserva 2015, Quinta de Linhares Avesso 2015, Quinta D’Amares Loureiro 2015, Santa Cristina Azal 2015, Espumante Muralhas de Monção Branco 2012, Aguardente Vínica Adega de Ponte de Lima e Quinta de Gomariz Alvarinho Colheita Selecionada 2015.

Há mais de 25 anos que a CVRVV promove, anualmente, o concurso “Melhores Verdes” com o objetivo de destacar as melhores colheitas do ano e eleger os vinhos que representam a região nas ações desenvolvidas nos mercados externos. Na edição de 2016, Luís Medeiros Vieira, secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, destacou a importância da região e do volume de exportações para a economia nacional e o embaixador japonês, Hiroshi Azuma, marcou presença como sinal de reforço diplomático da região com aquele mercado de exportação, numa altura em que o Japão se assume como mercado preferencial para o vinho verde, representando mais de meio milhão de euros nas exportações e um crescimento de 1.000% na última década.

O presidente da CVRVV destacou ainda 2015 como “um excelente ano de produção em qualidade e em quantidade, o que auspicia um 2016 promissor” e referiu o aumento das vendas em Portugal como “um claro sinal de consistência e de qualidade do vinho verde, que ocupa já o segundo lugar entre as regiões vinícolas”. Não esquecendo a referência ao recorde de exportações para 104 países, Manuel Pinheiro acrescentou que “a CVRVV manterá o forte apoio à viticultura e a procura de maior geração de valor, destacando os vinhos e o enoturismo de uma região única no mundo”.

Publicidade

Comissão Europeia investiga AB InBev

Schlecker exige indemnização a fornecedores por pactuarem preços