in ,

Lucro da H&M cai em 21%

O grupo de moda sueco Hennes & Mauritz (H&M) publicou, pela quarta vez consecutiva, um volume de negócios trimestral abaixo do esperado. O grupo registou uma queda de 21% nos liicros, apesar de um volume de negócios ligeiramente maior.

Enquanto o volume de negócios subiu 2%, para 60,5 mil milhões de coroas suecas (5,8 mil milhões de euros), o lucro líquido caiu para 4,6 mil milhões de coroas (450 milhões de euros) devido a problemas logísticos na Bélgica, França, Itália e Estados Unidos. Em alguns países nórdicos, as vendas online foram menores do que o esperado. Para reduzir o stock, a H&M teve que baixar os preços de muitos artigos.

A H&M sofre com o aumento da concorrência da Zara e de lojas online como Zalando e About You. “A rápida transformação do sector de retalho de moda continua e estamos num período de transição que é emocionante e desafiador. Desafiador porque é complexo, extenso e o ritmo da mudança é rápido. Emocionante porque podemos ver tendências positivas e grande potencial em conexão com o nosso trabalho de melhoria e investimentos“, disse o CEO, Karl-Johan Persson, no comunicado de imprensa que acompanha os resultados trimestrais.

No entanto, o gestor vê espaço para melhorias. “Podemos ver que as coisas estão a ir na direção certa, embora ainda existam muitos desafios e ainda há muito trabalho a ser feito. A primeira metade do ano tem sido um pouco mais desafiadora do que inicialmente pensámos, mas acreditamos que há uma melhoria gradual e que veremos um segundo semestre mais forte. Temos uma abordagem de longo prazo e estamos otimistas em relação ao futuro para todo o grupo“.

A H&M planeia abrir 390 lojas este ano, principalmente em mercados emergentes, enquanto 150 lojas em mercados estabelecidos serão fechadas.

Publicidade

Vendas no retalho alemão mostram a maior queda desde maio de 2011

Aplicação SideChef e Amazon unem-se para oferecer ingredientes frescos