in , ,

Lojas online nacionais foram as preferidas para as compras de Natal

De acordo com um novo estudo da GLS Portugal, entre os portugueses que compraram presentes de Natal online, no último Natal, 47% decidiu fazê-lo em lojas online nacionais, enquanto que 38,6% disse ter comprado tanto em lojas nacionais como internacionais. Já 13,6% indicou que adquiriu em lojas internacionais.

As compras dos portugueses foram concretizadas, maioritariamente, em dezembro, com 47% a confirmar este hábito, mas 21% indicou ter aproveitado a Black Friday ou a Cyber Monday para fazer as compras de Natal, seguindo-se 16% que foi comprando ao longo do ano e 14% que optou por aproveitar os saldos.

Entre o tipo de produtos mais escolhidos para dar como presente encontra-se, em primeiro lugar, o vestuário (21,7%), depois os acessórios (13,2%), seguidos pelos jogos e brinquedos (13,9%), produtos para o lar, cozinha e eletrodomésticos (11,2%), os livros (11,3%), a papelaria e decoração (6%), telemóveis (4,5%), portáteis ou tablets (2,7%), som, colunas e auscultadores (5%), desporto e lazer (6,5%) e outros (4,1%).

A grande maioria dos inquiridos referiu ainda ter comprado, em média, cerca de 11 presentes de Natal, nos quais gastou cerca de 224 euros, valor que ultrapassou ligeiramente a previsão de gastos inicial de 212 euros.

O orçamento que a grande maioria dos portugueses (42,9%) tinha destinado, este ano, para as compras de Natal situava-se, segundo os dados apurados junto dos inquiridos, entre os 100 e os 300 euros. Já 22,8% gastou entre 50 e 100 euros, enquanto 13% despendeu entre 300 e 500 euros e 10% mais de 500 euros.

 

GLS

Víctor González, diretor geral da GLS em Portugal, salienta que “o crescimento registado no comércio online motivou, também, o triplo das encomendas processadas e entregues pela GLS durante o período natalício. Por outro lado, para darmos resposta às crescentes exigências do comércio tradicional ao nível logístico, mas também já a prever este crescimento no online, fizemos investimentos importantes na nossa rede global, nomeadamente, ao nível da digitalização para simplificar e aumentar a velocidade de processamento das encomendas, assim como com a introdução do serviço integrado Shop Return Service, que assegura o retorno nacional e internacional de forma simplificada”.

O estudo realizado pela GLS permitiu, ainda, apurar que os portugueses estão satisfeitos com o comércio online (oito em 10) e que vão continuar a fazer as suas compras através da Internet.

Publicidade

Pingo Doce

Pingo Doce reforça ações de combate à pandemia

Rhenus

Rhenus compra o operador logístico LOXX