in

Lidl lança iniciativa de combate à pobreza menstrual

Na Irlanda, o Lidl lançou uma iniciativa para combater a incapacidade financeira das mulheres no acesso a produtos de higiene feminina, nomeadamente, pensos higiénicos e tampões.

Em comunicado, a insígnia do Grupo Schwarz indica ser o primeiro grande retalhista, a nível mundial, a desenvolver um projeto de combate à pobreza menstrual. A iniciativa está a ser desenvolvida apenas na Irlanda, abrangendo todas as 168 lojas no país.

 

Respeito pela dignidade

Aoife Clarke, responsável de comunicações do Lidl Irlanda, explica que, na base desta iniciativa, está o respeito pela dignidade. “Desde que soubemos mais sobre o problema crescente da pobreza menstrual na Irlanda que sentimos que, enquanto retalhista familiar, é do melhor interesse da nossa comunidade apoiar jovens raparigas e mulheres afetadas por esta crise”.

O apoio do Lidl faz-se através da oferta de um vale para uma caixa de pensos higiénicos ou de tampões gratuita a cada mês, entregue através da aplicação Lidl Plus.

A cada trimestre, a insígnia compromete-se também a fazer donativos de produtos de higiene feminina à instituição The Simon Communities, garantindo que mulheres em situação de sem abrigo e sem smartphone têm também acesso a estes artigos essenciais Cerca de 85 mil mulheres na Irlanda podem estar em risco de pobreza, segundo m relatório publicado pelo governo do país.

 

Combate pobreza menstrual

Num reconhecimento público do custo que pesa sobre estes produtos essenciais, vários governos têm vindo a tomar iniciativas para combater a pobreza menstrual. No ano passado, a Escócia tornou-se no primeiro país a oferecer acesso gratuito e universal a este tipo de produtos em instalações públicas e, em breve, na Nova Zelândia, as estudantes irão passar a recebê-lo nas escolas.

Por outro lado, alguns países têm vindo a isentar de impostos os produtos como os pensos higiénicos e os tampões, casos do Canadá, Índia, Austrália, Índia, Quénia e alguns estados norte-americanos. No ano passado, a Alemanha também aprovou a isenção de impostos sobre estes produtos, considerando que se trata de bens essenciais e não de um luxo.

A iniciativa do Lidl Irlanda coincide com a discussão que está a haver no seio do governo local no sentido de assegurar o acesso gratuito a estes produtos, do mesmo modo que já acontece na Escócia.

Publicidade

Pringles

Pringles investe 30 milhões de euros nas fábricas europeias

Henkel

Henkel celebra 50 anos em Portugal