in ,

Kroger e Microsoft unem-se para criar o supermercado do futuro

“Juntos conseguimos criar algo que separados não teríamos alcançado”

Foto Shutterstock

A gigante tecnológica Microsoft e uma das maiores cadeias de supermercados norte-americana uniram esforços para criar uma experiência de compra inovadora graças à inteligência artificial. O objetivo é dar forma ao que consideram ser “a loja do futuro”.

De momento, a cadeia de supermercados remodelou duas das suas lojas para implantar a tecnologia oferecida pela Microsoft. Os novos supermercados apresentam lineares digitais que podem mostrar desde as características dos produtos a promoções de outros que considerem interessantes para o consumidor, passando pela alteração dos preços em tempo real ou pela informação sobre dietas personalizadas para o cliente, sempre que este dê a sua permissão.

Rodney McMullen, presidente executivo da Kroger, e Satya Nadella, CEO da Microsoft

O software de inteligência artificial da Microsoft pode prever a idade e o género do comprador, dados que permitirão adaptar anúncios a segmentos particulares de clientes.

Os lineares também possuem uma rede de sensores que rastreiam os produtos e ajudam os clientes na sua busca ou quando querem, por exemplo, conhecer a sua composição. Os lineares convertem-se em ecrãs digitais que se iluminam com um ícone personalizado quando os clientes chegam a um artigo que, previamente, tinham colocado na sua lista de compras através da app da Kroger. Deste modo, o cliente cria uma lista de compras anteriormente através da aplicação e a tecnologia guia-o pela loja, de acordo com as suas necessidades, gostos ou preferências.

Se a parceria for bem-sucedida, a Kroger poderá aplicar este sistema baseado na Cloud Azure desenvolvido com a Microsoft nas suas 2.780 lojas. Além disso, poderá vender a tecnologia a outros retalhistas, gerando uma nova fonte de receitas com margens bem mais elevadas que a venda de bens alimentares.

Publicidade

Publicidade

Retalhistas europeus pedem ao Reino Unido e à União Europeia que garantam o fluxo de bens e mercadorias

Google lança o seu próprio marketplace em França para concorrer com a Amazon