in

Johnson & Johnson condenada a pagar mais de 4 mil milhões de euros a 22 mulheres

A multinacional norte-americana Johnson & Johnson foi condenada a indemnizar em mais de quatro mil milhões de euros 22 mulheres que afirmam ter desenvolvido cancro do ovário depois de usarem os seus produtos.

O veredicto foi conhecido após cinco semanas de testemunhos e alegações por parte de vários especialistas da defesa e da acusação, num tribunal de St. Louis, no estado do Missouri. Durante o julgamento, especialistas médicos testemunharam que o amianto, famoso cancerígeno, é misturado com o talco mineral, principal ingrediente do pó talco da Johnson & Johnson (J&J). De acordo com o principal advogado da acusação, Mark Lanier, “a multinacional encobriu provas da existência de amianto nos seus produtos durante mais de 40 anos“.

A empresa foi processada por mais de nove mil mulheres que afirmaram que o pó de talco contribuiu para o desenvolvimento do cancro do ovário. Seis das 22 queixosas morreram na sequência da doença.

Publicidade

Alibaba e Guess testam loja de moda do futuro

Sonae reforça posição na Sonae Sierra