in

Insolvências em abril com redução de quase 13% face a 2018

O mês de abril apresentou um decréscimo de 12,9% nas insolvências, com um total de 433 empresas insolventes, menos 64 que no período homólogo de 2018.

O acumulado totaliza 1.941 insolvências e é inferior aos valores registados nos últimos três anos.

Nos primeiros quatro meses deste ano, foram requeridas 393 declarações de insolvências (menos 22% que em 2018), enquanto as apresentações à insolvência pelas próprias empresas baixaram de 499 para 417 (-16,4%). Os encerramentos com plano de insolvência tiveram uma quebra de 41,4% (de 29, em 2018, para 17, em 2019). No período em anális,e foi declarada a insolvência de 1.114 empresas (esta ação corresponde ao encerramento de processos), o que traduz um incremento de 20,9% relativamente a 2018.

Porto e Lisboa permanecem os distritos com o valor de insolvências mais elevado, 510 e 407, respetivamente. No entanto, enquanto a capital regista uma diminuição de 28,8% face aos primeiros quatro meses do ano passado, o Porto sofre uma subida de 21,4%.

São dez os distritos com aumentos nas insolvências no primeiro quadrimestre de 2019. Este grupo (que representa 58,8% do total de insolvências) é liderado pelos distritos da Horta (200%), Braga (47,4%) e Faro (45,3%). Nove distritos (36,2% do total) apresentam uma diminuição em relação a 2018, com as baixas mais acentuadas em Vila Real (-64,7%), Évora (-47,8%) e Lisboa (de 572, em 2018, para 407, em 2019). Beja (11 insolvências), Leiria (77) e Angra do Heroísmo (8) têm uma variação nula.

Por sectores, os principais decréscimos verificam-se na Eletricidade, Gás, Água (-57,1%), Indústria Extrativa (-50%) e Comércio por Grosso (-17,9%). Os aumentos mais significativos pertencem às Telecomunicações (100%), Indústria Transformadora (31,4%) e Transportes (18,2%).

Constituições baixam 3,1% em abril

A constituição de empresas em abril registou uma redução de 3,1%, com menos 119 empresas que em 2018. Contudo, o acumulado no final do primeiro quadrimestre do ano totaliza 19.719 novas empresas, mais 14,6% que em 2018, com uma média mensal de 4.930 constituições, valor que supera as médias dos dois anos anteriores.

Todos os distritos apresentam aumentos nas constituições. Os valores mais significativos verificam-se em Lisboa (6.250 novas empresas), Porto (3.613) e Setúbal (1.522). No conjunto, estes distritos representam 57,7% do total nacional. As maiores variações homólogas pertencem aos distritos da Horta (88,2%), Bragança (53,4%) e Castelo Branco (31,4%).

Há exceção das Telecomunicações, com uma redução de 2,4%, todos os sectores crescem face ao ano passado. Os maiores aumentos verificam-se nos Transportes (126,7%), Indústria Extrativa (42,9%) e Construção e Obras Públicas (42,4%).

Publicidade

Publicidade

Cerveja Quinas chega ao mercado holandês

Preços mundiais dos alimentos crescem 1,5% em abril