in

Indústria cosmética europeia reduz em 82% o uso de micropartículas plásticas

Segundo o relatório da Cosmetics Europe, a indústria cosmética europeia tem reduzido de forma voluntária em 82% o uso de micropartículas plásticas em produtos cosméticos e de cuidados pessoais, como exfoliantes e cremes de limpeza, entre 2012 e 2015.

Em outubro de 2015, a Cosmetics Europe recomendou aos seus membros que descontinuassem o uso de micropartículas plásticas, sólidas e sintéticas que não são biodegradáveis no meio marinho. Desta forma, desde a recomendação, as empresas de cosmética asseguraram, de forma “voluntária e individual”, o compromisso de substituir o uso destas partículas por outras alternativas.

O diretor geral da Cosmetics Europe, John Chave, sublinha que esta “rápida e substancial redução” demonstra a força e efetividade da ação. “Tendo em conta os importantes progressos realizados até aqui, a Cosmetics Europe antecipa que estamos em vias de alcançar o nosso objetivo de eliminar todas as micropartículas usadas em exfoliantes e cremes de limpeza que se enxaguam, antes do ano de 2020”.

O presidente da Cosmetics Europe, Loïc Armand, destaca que os resultados do relatório demonstram “o progresso que esta indústria tem feito até aqui. Como uma indústria respeitadora para com o meio ambiente que está a tomar estas medidas, a Cosmetics Europe continuará a monitorizar e informar anualmente sobre esta ação”.

A industria cosmética e de cuidado pessoal sublinha ainda que está a tomar as medidas, ainda que a presença de micropartículas plásticas nos oceanos seja extremamente baixa.

Publicidade

França proíbe cadeias de oferecer enchimento ilimitado de bebidas

Portugueses preferem cada vez mais os detergentes líquidos concentrados