in

Império da moda britânica Arcadia cai por terra

Poderá ser a maior falência empresarial da pandemia

Foto MichielTon/Shutterstock

O grupo britânico de moda Arcadia, conhecido pelas suas marcas TopShop, Burton e Dorothy Perkins e controlado por Philip Green, está à beira da falência, colocando em perigo mais de 13 mil postos de trabalho.

Há várias semanas que o grupo estava a tentar negociar, sem sucesso, um crédito urgente de 35 milhões de euros para assegurar a sua sobrevivência.

 

Vítima da Covid-19

A Arcadia, que possui 1.100 lojas em 34 países, é mais uma vítima dos efeitos devastadores que a pandemia e as consequentes medidas de contenção estão a ter no comércio, levando ao encerramento de muitos pontos de venda de base não alimentar.

Não obstante, os analistas indicam que as suas dificuldades não são de agora. Algumas das suas marcas, especialmente a TopShop, ganharam muita popularidade na primeira década do século, mas não conseguiram manter o ritmo nem se adaptaram às novas tendências, sobretudo no que à venda online diz respeito.

A tudo isto somam-se os escândalos envolvendo o empresário Philip Green, primeiro, com a falência das lojas BHS e depois com as acusações de assédio sexual.

No seu último exercício fiscal, a Arcadia reportou um prejuízo de 93,4 milhões de libras. As vendas encolheram 4,5%.

 

Potenciais compradores

Entre os analistas, fala-se da possibilidade do grupo de moda online Boohoo poder vir a comprar alguns ativos da Arcadia. Este ano, comprou os negócios online da Oasis e da Warehouse, somando-os aos da Karen Miller e Coast, que adquiriu em 2019.

O milionário e fundador da Sports Direct, Mike Ashley, também cosnta da lista de potenciais compradores. Durante os últimos anos, tem adquirido cadeias em dificuldades, como a DW Sports Fitness e a  House of Fraser.

Publicidade

Grupo DIA completa a transformação da sua estrutura de capital

Natal

Como vai ser a quadra festiva dos portugueses?