in

Herdade Grande anuncia novidades enquadradas no centenário da propriedade

O centenário da Herdade Grande, celebrado em 2020, vai ser feito de novidades: Diogo Lopes é o novo responsável de enologia e os mais recentes vinhos, mostrados na última ProWein 2019, chegam ao mercado português: Herdade Grande Branco 2018, Herdade Grande Rosé 2018 e Herdade Grande Gerações Branco 2017.

Em 1920, um agricultor alentejano, vindo de Aljustrel, estabeleceu-se a apenas cinco quilómetros da Vidigueira, fundando as bases da família Lança e iniciando um percurso de quatro gerações, que viria a tornar a Herdade Grande um dos mais emblemáticos nomes do Alentejo. Em 1980, foi já o neto e atual proprietário, o agrónomo António Lança, que lançou uma forte aposta na viticultura e começou por desenhar o património de castas hoje existente.

Em 1997, António Lança engarrafou os primeiros vinhos e criou uma marca, a Herdade Grande. Hoje, já com o apoio da filha Mariana na liderança da empresa, anuncia uma nova equipa enologia e os seus primeiros vinhos no mercado. São assim antecipadas as primeiras novidades enquadradas no centenário da Herdade Grande, a celebrar em 2020, e que incluem para já, também, o lançamento de um novo website: www.herdadegrande.com.

Diogo Lopes (esquerda), António e Mariana Lança, da Herdade Grande

No que à adega diz respeito, Diogo Lopes é o novo responsável de enologia. Um dos mais conceituados enólogos portugueses da nova geração, com consultorias permanentes no Douro, Lisboa e Açores, Diogo Lopes desenvolveu, igualmente, projetos no Alentejo, onde, aliás, começou a carreira, em 2005. Formou-se no Instituto Superior de Agronomia, ao lado de Pedro Garcia, que agora desafiou para formar equipa na Herdade Grande. A dupla sucede a Luís Duarte, enólogo responsável pelos vinhos Herdade Grande desde o primeiro lançamento, em 1997, e que daí para cá ajudou a construir a forte reputação desta marca familiar, uma das mais antigas da Vidigueira. “Queremos expressar uma palavra de gratidão ao Luís Duarte, pelo contributo na afirmação da marca Herdade Grande no sector. Construímos também uma estima que, por certo, vamos guardar”, afirma Mariana Lança, enquadrando depois a nova equipa. “Cumprido um ciclo, lançamos uma nova parceria com uma dupla de forte ligação sentimental à Herdade Grande, constituída pelos enólogos Diogo Lopes e Pedro Garcia, que vão prosseguir a vocação experimentalista e inovadora implementada pelo meu pai desde 1980, na expressão deste terroir único da Vidigueira”, termina Mariana Lança.

Diogo Lopes e Pedro Garcia colaboraram já na última vindima e os primeiros vinhos nascidos da nova enologia foram mostrados na última ProWein 2019, chegando agora também ao mercado português: Herdade Grande Branco 2018 e Herdade Grande Rosé 2018. Ao mesmo tempo, surge também o Herdade Grande Branco Gerações 2017, um vinho finalizado pela nova dupla. “É uma honra poder assumir todo este património da Herdade Grande e prosseguir o trabalho do Luís Duarte, uma referência para nós, enólogos. Estamos muito entusiasmados com o desafio e a responsabilidade de potenciar o terroir fantástico da Vidigueira e da Herdade Grande, em particular”, afirma Diogo Lopes. Os novos vinhos apresentados “são bons exemplos do que nos oferece o terroir muito característico, capaz de proporcionar vinhos elegantes, com carácter e com a frescura muito própria da Vidigueira”, termina.

Sonae IM investe na tecnológica CB4

LPR Portugal cresce 9,2% em 2018 e reforça excelência operacional