Heineken
in

Heineken ganha mais 80% no 1.º trimestre

A Heineken registou um lucro líquido de 169 milhões de euros, no primeiro trimestre, mais 80% que em 2020, ano marcado pela pandemia. Não obstante, fica 44% abaixo dos lucros registados em 2019.

Segundo assinala Dolf van den Brink, CEO da empresa, “apesar de enfrentar severas restrições e muitos mercados e do encerramento do on-trade na Europa, devido à pandemia, o volume total de cerveja esteve em linha como último ano, com um forte crescimento em África, Médio Oriente e Europa de Leste e na região da Ásia-Pacífico e um modesto crescimento nas Américas”.

A cervejeira vendeu 50,3 milhões de hectolitros de cerveja, no primeiro trimestre. Na região de África, Médio Oriente e Europa de Leste, as vendas cresceram 9,9% e na Ásia aumentaram 5,4%. Em contrapartida, no restante mercado europeu, caíram 9,7%.

 

Brew a Better World 2030

A Heineken definiu também novos compromissos em termos de sustentabilidade. 23, zero desperdício lançado em aterro a nível global, até 2025, impacto positivo no consumo de água em todas as zonas com escassez deste recurso, até 2030,30% de mulheres em cargos de gestão de topo, até 2025, e 40% ,até 2030, no caminho para a igualdade de géneros, implementação total do programa de igualdade salarial e salários justos, até 2023, e uma iniciativa de impacto social em 100% dos mercados, todos os anos, são alguns dos objetivos do programa Brew a Better World 2030, que contempla, ainda, o lançamento de duas opções de bebidas com zero teor alcoólico, na maioria dos mercados, até 2023, e a promoção de parcerias em todos os mercados para combate aos efeitos nocivos de um consumo abusivo de bebidas alcoólicas.10% do orçamento de marketing da marca Heineken será dedicado à promoção de um consumo responsável.

Aquecimento global

Efeitos das alterações climáticas deverão eliminar entre 11% a 14% da riqueza global

relações pessoais

Utilização de smartphone mais que triplica