in

Grupo ID logistics aumentou as suas receitas 4,3%

A ID Logistics, um dos principais operadores logísticos a nível europeu, apresentou os resultados do segundo trimestre. Eric Hémar, presidente e CEO da ID Logistics, comenta que, “no primeiro semestre de 2020, marcado pela crise sanitária de Covid-19, a ID Logistics conseguiu manter o crescimento dos negócios e um bom desempenho comercial. Após um primeiro trimestre de 2020 com um forte crescimento nas vendas, o segundo trimestre ilustrou a resiliência do nosso modelo de negócio. A diversidade do nosso portfólio, a equilibrada presença internacional do grupo e o compromisso das nossas equipas permite-nos manter as receitas estáveis”.

A ID Logistics resistiu bem à crise sanitária de Covid-19 durante o segundo trimestre: o seu portfólio de clientes, principalmente nos sectores alimentar e e-commerce, e a sua diversificada presença geográfica permitiram manter as vendas estáveis em 384,1 milhões de euros (-0,6% em comparação com 2019).

Em França, a ID Logistics registou uma queda de 5,9% nas vendas no segundo trimestre, para 170,6 milhões de euros. Após as medidas de confinamento, a atividade em abril caiu 13,5%, em relação ao ano passado. A queda foi particularmente acentuada em maio (-7,3%) e a dinâmica das vendas recuperou em junho (+3,2%).

As receitas internacionais do segundo trimestre cresceram 4,1%, para 213,5 milhões de euros. Após um mês estável em abril (-0,2%) e um mês ligeiramente mais dinâmico em maio (+1,6%), o crescimento acelerou acentuadamente em junho para 11%.
Este desempenho inclui um efeito cambial geralmente desfavorável, principalmente na América Latina, e uma mudança no escopo da consolidação, devido ao fim das operações na África do Sul, em setembro de 2019, e à consolidação das atividades da Jagged Peak, em dezembro de 2019, nos Estados Unidos. Excluindo estes fatores, a queda nas vendas líquidas foi limitada em 0,2% durante o trimestre.

O forte crescimento registado no primeiro trimestre, combinado com a resiliência do segundo trimestre, permitiu a ID Logistics registar um crescimento de 4,3% nas vendas para 776,6 milhões de euros no primeiro semestre. Durante este período, o grupo iniciou 10 novas plataformas (três em França e sete internacionais), em linha com o plano de negócios inicial.

 

Novos contratos

Apesar da crise sanitária, o segundo trimestre foi novamente uma oportunidade para a ID Logistics prosseguir com o seu desenvolvimento comercial, dando resposta a várias solicitações. Na Holanda, a ID Logistics iniciou a atividade de preparação de pedidos para o cliente de e-commerce Talpa num novo armazém de 10 mil metros quadrados, em Etten- Leur, para distribuição em todo o Benelux.

A ID Logistics acelerou também a sua colaboração com um dos líderes mundiais de e-commerce, com a conquista de um novo contrato na Alemanha e um primeiro contrato em França.

Em França, a NAOS, importante “player” a nível internacional de cuidados para a pele das marcas Bioderma e Institut Esthederm, confiou na ID Logistics para gerir o seu novo armazém centralizado na zona de Marselha. Com uma superfície inicial de 30 mil metros quadrados, com possibilidade de extensão, a solução implementada pela ID Logistics vai permitir a NAOS reduzir a sua pegada de carbono racionalizando os seus fluxos logísticos.

Na Polónia, a ID Logistics abriu um novo armazém para o Carrefour no centro do país, em Rawa Mazowiecka, no primeiro semestre. Os 600 funcionários deste armazém personalizado de 65 mil metros quadrados vão gerir produtos frescos, secos e não alimentares.

 

Perspetivas

Graças a um portfólio diversificado de clientes (40% na produção e distribuição de alimentos e 20% em e-commerce) e uma equilibrada distribuição geográfica, a ID Logistics conseguiu manter um bom nível de atividade, apesar da crise sanitária. Além disso, até agora não sofreu nenhum atraso significativo no arranque de nenhuma plataforma logística, pelo que o objetivo continua a ser abrir cerca de 15 novas plataformas ao longo do ano. Por fim, o grupo continua a receber diversas solicitações, principalmente no sector do e-commerce.

Com a imprevisibilidade da situação crise sanitária, o grupo ainda não está em posição de avaliar o impacto da crise nas receitas gerais de 2020.

Publicidade

Gillette Venus

Gillette Venus apresenta pela primeira vez uma embaixadora portuguesa

Maison Ruinart

Maison Ruinart, em Reims, reabre as suas portas