in ,

Gigantes do retalho mundial envolvidos em polémica sobre trabalho escravo

Uma investigação do jornal britânico The Guardian descobriu uma nova polémica que envolve alguns dos maiores retalhistas do mundo, incluindo a Walmart, Carrefour, Tesco e Costco.

O jornal acusa estes retalhistas de comprarem camarões provenientes de trabalho escravo em “barcos fantasma” na Tailândia onde, alegadamente, centenas de homens são presos e forçados a trabalhar sem receber qualquer salário e sob extrema violência.


A investigação do The Guardian sobre a Charoen Pojphand Foods (CP Foods), o maior produtor mundial de camarão, descobriu que a empresa comprava ração a fornecedores que utilizavam trabalho escravo. Autodenominada de “a cozinha do mundo”, a CP Foods fatura cerca de 33 mil milhões de dólares, vendendo a sua marca própria e abastecendo os retalhistas internacionais de camarões congelados ou cozidos e de refeições prontas.


No seguimento da investigação do The Guardian, o Carrefour já confirmou ter suspendido as relações comerciais com esta empresa até que os factos sejam esclarecidos. Num breve comunicado, o grupo informou, ainda, que esta empresa foi objeto de uma auditoria, há um ano, e que nada de anormal foi encontrado naquela altura.


A Tailândia é o maior exportador de camarão do mundo, vendendo, todos os anos, 50 mil toneladas, das quais 10% são negócio da CP Foods.

Publicidade

Smint lança nova gama de pastilhas elásticas

71% das empresas carece de especialistas em redes sociais