China
Foto Shutterstock
in

Gigantes do e-commerce chineses enfrentam novas regras antimonopólio

A China anunciou, no domingo passado, dia 7 de fevereiro, novas regras antimonopólio com foco nas grandes empresas de comércio eletrónico. As novas regras têm como objetivo impedir que os gigantes do sector, Alibaba e JD.com, abusem da sua posição dominante no mercado.

Especificamente, as regras impedem que as plataformas de comércio eletrónico obriguem os fornecedores a negociar exclusivamente com elas.

A administração estatal para regulamentação do mercado (SAMR) da China quer impedir a fixação de preços, preços predatórios e condições de comércio não razoáveis. Também existem regras contra a restrição de tecnologias e o uso de dados e algoritmos para manipular o mercado.

As diretrizes também se aplicam às empresas de tecnologia financeira e pagamentos, como a WeChat Pay, da Tencent, e o Ant Group, sucursal de pagamentos do Alibaba.

 

Abordagem mais rígida

As novas regras entram em vigor na mesma altura em que a China adota uma postura mais firme contra os supostos comportamentos anticoncorrenciais.

Na segunda-feira, o governo anunciou que multou a empresa de descontos online Vipshop em quase 500 mil dólares (413 mil euros) por concorrência desleal. Entre agosto e dezembro do ano passado, a Vipshop tinha desenvolvido um sistema para obter informações sobre as marcas que vendia e as que os concorrentes comercializavam, o que lhe dava uma vantagem.

O regulador disse que a Vipshop usou o seu sistema para influenciar as escolhas do utilizador e oportunidades de transação e para bloquear as vendas de marcas específicas.

O governo também está a conduzir uma investigação sobre o Alibaba, que foi anunciada, pela primeira vez, em dezembro.

peixe

Bruxelas promove o consumo sustentável de peixe e marisco

Nestlé

Nestlé quer atingir a neutralidade carbónica até 2050