Livros
Foto Shutterstock
in

GfK: que livros oferecer no Natal?

“A Arte Subtil de saber dizer que se F*”, de Mark Manson, e a série de banda desenhada Demon Slayer são alguns dos livros mais vendidos em 2021, segundo uma pesquisa internacional realizada pela GfK, que analisou o desempenho deste mercado em oito países, incluindo Portugal, entre janeiro e setembro.

A análise revela que o mercado do livro está a crescer, mesmo a tempo de ser impulsionado pelas vendas de Natal, e que as categorias mais populares são a banda desenhada, livros de apoio (desenvolvimento pessoal, saúde, finanças), esoterismo e culinária.

Esta análise da GfK é baseada em dados de vendas de livros físicos, entre janeiro e setembro de 2021, em Portugal, Brasil, Bélgica, França, Itália, Holanda, Espanha e Suíça.

 

Banda desenhada lidera as vendas

Em Portugal, no período analisado, foram vendidos quase três vezes mais livros de banda desenhada japonesa e sul-coreana do que no mesmo período do ano passado, sendo Demon Slayer, Naruto e My Hero Academia as séries preferidas. Nos restantes mercados analisados, esta categoria duplicou as vendas nos últimos nove meses, principalmente devido à popularidade de Mangas e Manhwas.

Os livros de apoio estão a conquistar cada vez mais leitores, principalmente os relacionados com desenvolvimento pessoal, em França (+48%) e Holanda (+25%), finanças em Itália (+25%) e saúde/bem-estar/auto-ajuda, no Brasil (+31%) e Portugal (+24%). “A Arte Subtil de saber dizer que se F*” de Mark Manson e “Pai Rico, Pai Pobre” de Robert T. Kiyosaki são os best-sellers de algumas destas categorias.

Apesar da especificidade do tema, os livros esotéricos estão em franco crescimento em 2021, com um aumento de vendas de 73% na Bélgica, 60% em França e 40% no Brasil (4% em Portugal).

A tendência verifica-se também na categoria de culinária que, entre janeiro e setembro, teve uma taxa de crescimento de dois dígitos na maioria dos mercados analisados (Bélgica 74%, França 48%, Itália 24%, Espanha 22% e Suíça 20%. Em Portugal, cresceu 9%.

mercado

Escritórios lideram no mercado imobiliário europeu, diz análise da Savills 

Nolita

“95% dos nossos ingredientes são adquiridos a fornecedores nacionais”