in

GEFCO e BERGÉ criam a empresa de logística em Espanha

BERGÉ GEFCO S.L., a nova empresa constituída de forma paritária, recebeu a aprovação regulatória para unir as suas forças no mercado espanhol, com o objetivo de melhorar a sua oferta e desenvolver novos serviços. Depois de ratificar o acordo entre os dois grupos, a empresa já está operacional, desde 2 de janeiro, tornando-se “o novo líder dinâmico no mercado de veículos acabados em Espanha“.

Com base na experiência e recursos das empresas-mãe, a BERGÉ GEFCO vai aumentar significativamente a sua capacidade de transporte e armazenamento para os clientes, o que irá permitir reforçar a proposta de valor para os clientes no mercado espanhol, um dos maiores do mundo, onde três milhões de veículos são produzidos anualmente. Os clientes beneficiarão de mais de três milhões de metros quadrados para armazenagem até 120 mil veículos, além de uma frota de 700 porta-automóveis e 100 vagões ferroviários. “Esta joint-venture reforçará a nossa liderança no mercado de logística automóvel”, comenta Luc Nadal, CEO da GEFCO. “A nova empresa está bem posicionada para antecipar as necessidades futuras do sector automóvel, num contexto altamente dinâmico, e para desenvolver soluções inovadoras adaptadas às necessidades dos nossos clientes, parceiros e colaboradores”.

Novos serviços

A BERGÉ GEFCO vai oferecer um extenso portfólio de soluções logísticas para os clientes atuais de ambas as empresas, permitindo uma melhor gestão dos picos sazonais e beneficiar de recursos dedicados.

A nova empresa cobrirá todas as necessidades logísticas de veículos novos e usados. De facto, no segmento de veículos usados, será o único fornecedor capaz de gerir todos os serviços logísticos e comerciais com recursos próprios. As suas soluções para fabricantes de veículos, empresas de leasing e revendedores incluem transporte, armazenagem, serviços técnicos, inspeções, reparações, entrega, comercialização, gestão de vendas (online / leilões / exportações), administração e gestão de frotas.

Como as lojas físicas influenciam o e-commerce?

Portal da Queixa recebe média de 250 mil reclamações por dia