in

Fujitsu analisa as tendências mais importantes para o retalho em 2018

A Fujitsu apresentou as nove tendências que transformarão e dominarão o sector retalhista em 2018.

1) O modelo de colaboração continuará a crescer. Muitos supermercados procurarão recriar o modelo “store-in-a-store”;

2) Maior consolidação de empresas por fusões e aquisições;

3) O mobile continuará a ser chave na geração de tráfego e vendas para a distribuição;

4) As cadeias de suprimentos serão influenciadas por muitos fatores, como o “driverless” e a robótica. Haverá mais projetos-piloto onde os retalhistas e fabricantes usarão essas tecnologias que irão alterar o processo de entrega dos componentes e produtos, o que acelerará a chegada ao mercado;

5) “Boom in” Inteligência Artificial (AI). Por exemplo, os webchats, que são usados pela distribuição para responder a perguntas, serão cada vez mais sofisticados;

6) A importância da segurança cibernética, uma vez que os ataques podem destruir uma marca e ter impactos financeiros e de reputação significativos. Os consumidores não gostam de lacunas de segurança e preocupam-se se elas serão afetadas. Se são impedidos de fazer uma compra porque os sistemas foram fechados, irão fazer compras noutro lugar e esse cliente será perdido;

7) Evolução dos pagamentos. Novidades como “contactless” desempenham um papel importante no desenvolvimento da sua empresa para criar uma experiência de compra mais fácil para o consumidor;

8) Personalização. Graças ao avanço da AI, é mais fácil conhecer os clientes a partir do momento em que entram no estabelecimento, fazem um click online ou usam o smartphone;

9) Ordem por voz. Culturalmente, Amazon e Apple mudaram a maneira como interagem com os dispositivos através de sistemas como o Alexia e Siri. Já existem vários retalhistas que avançaram neste campo e, ao longo deste ano, espera-se que hajam mais acordos com assistentes de voz para oferecer aos clientes uma maneira nova e interativa de comprar.

Publicidade

L’Oréal lança o seu primeiro wearable

Credit Suisse prevê mais encerramentos e liquidações a curto prazo