in

Exportações de produtos do mar da Noruega batem recordes em março

produtos do mar

As exportações de produtos do mar da Noruega atingiram um valor recorde histórico, em março, impulsionando um primeiro trimestre sólido.

O valor das exportações foi o mais elevado de sempre e, nos primeiros três meses do ano, a Noruega exportou produtos do mar no valor de 27,7 mil milhões de coroas norueguesas. “As exportações norueguesas de produtos do mar tiveram um início sólido em 2021, sobretudo devido a um aumento substancial no valor das exportações em março, especialmente de salmão. Graças a um volume recorde, as exportações de salmão em março são as mais elevadas registadas num único mês“, afirma Renate Larsen, CEO do Norwegian Seafood Council.

 

Março bate recordes

Verificou-se uma queda no valor das exportações em janeiro e fevereiro, que foi revertida em março. É necessário recuar a outubro de 2019 para se verificar um aumento exponencial no valor das exportações em apenas um mês. Em março, foram exportados produtos do mar no valor de 10,9 mil milhões de coroas norueguesas, o que representa um aumento em valor de 13,5%, isto é,1,3 mil milhões de coroas norueguesas, em comparação com março do ano passado.

Embora a pandemia continue a afetar os mercados de produtos do mar, é gratificante verificar que o valor das exportações dos produtos provenientes da Noruega tornaram este mês de março o mais robusto dos últimos anos. Os nossos produtos do mar são procurados em todo o mundo. Por trás dos números está uma indústria com enorme capacidade de adaptação, com pessoas competentes, a todos os níveis“, afirma Odd Emil Ingebrigtsen, ministro morueguês para a Pesca.

 

Queda nas exportações de bacalhau

2021 permitiu-nos atingir o segundo melhor resultado da história da exportação de produtos do mar no primeiro trimestre. No entanto, reconhecemos que ainda vivemos tempos desafiantes para determinadas áreas da indústria, nomeadamente no que diz respeito ao bacalhau, como o bacalhau fresco e o bacalhau seco salgado“, comenta Renate Larsen.

A Noruega exportou 29.200 toneladas de bacalhau fresco no valor de 1,1 mil milhões de coroas norueguesas, no primeiro trimestre, representando um aumento de volume na ordem dos 27%. O valor está no mesmo patamar do primeiro trimestre do ano passado. Destes, foram exportadas 3.900 toneladas de bacalhau com marca de qualidade no valor de 165 milhões de coroas norueguesas, uma queda de volume em 17% e o valor caiu 64 milhões de coroas norueguesas, isto é, 28% no primeiro trimestre. Dinamarca, Polónia e Holanda foram os maiores destinatários de bacalhau fresco da Noruega no primeiro trimestre.

O aumento de volume mais significativo, no que diz respeito ao bacalhau fresco, verificou-se em Portugal e na Polónia, aumentando os seus volumes em mais de 1.300 toneladas, ou 640 e 68%, respetivamente. “Os preços de exportação de bacalhau fresco caíram em linha com os preços no primeiro trimestre. Isso afetou o bacalhau, que está a passar por uma queda tanto em volume como em valor em relação ao primeiro trimestre do ano passado”, comenta Eivind Hestvik Brækkan, analista de Produtos do Mar do Norwegian Seafood Council.

No que diz respeito ao desenvolvimento do bacalhau fresco em março, os números das exportações mostram um aumento significativo, tanto em valor como em volume. Foram exportadas 14.300 toneladas de bacalhau fresco no valor de 490 milhões de coroas norueguesas, verifica-se um aumento de volume de 76% e o valor aumentou para 131 milhões de coroas norueguesas, ou seja, 37%, em comparação com março do ano passado

 

Aumento nas exportações de bacalhau congelado para a Europa

A Noruega exportou 25.400 toneladas de bacalhau congelado no valor de 975 milhões de coroas norueguesas, no primeiro trimestre. Verifica-se um aumento de volume de 10%, mas o valor caiu em 92 milhões de coroas norueguesas, isto é, 9%, em comparação com o primeiro trimestre do ano passado.

China, Reino Unido e Lituânia foram os maiores destinatários de bacalhau congelado no primeiro trimestre. Cerca de 67% do bacalhau congelado destinou-se à Europa, em comparação com 60% no primeiro trimestre do ano passado.

As exportações de bacalhau congelado da Noruega para o Reino Unido não parecem ser afetadas pelo Brexit. As exportações de bacalhau congelado para o Reino Unido e para a França aumentaram mais de 500 toneladas no primeiro trimestre de 2021. Isto corresponde a um aumento de 37 e 21%, respetivamente“, afirma Eivind Hestvik Brækkan.

Em março, o valor das exportações de bacalhau congelado fortaleceu ainda mais o crescimento e, nesse mesmo mês, atingiu o valor mais alto. Foram exportadas 11.900 toneladas de bacalhau congelado, no valor de 464 milhões de coroas norueguesas, verificou-se um aumento de volume de 22% e o valor aumentou 12 milhões de coroas norueguesas, ou seja, 3%, em comparação com março do ano passado.

 

Mudança histórica para o bacalhau

A Noruega exportou 23 mil toneladas de bacalhau no valor de 996 milhões de coroas norueguesas, no primeiro trimestre. Há um aumento de volume de 4%, mas o valor caiu em 162 milhões de coroas norueguesa, isto é, 14%, em comparação com o primeiro trimestre do ano passado. Portugal, Brasil e República Dominicana foram os mercados mais importantes para o bacalhau norueguês no primeiro trimestre.

Pela primeira vez num trimestre, o valor de exportação do escamudo é maior do que a do bacalhau. A diminuição no volume e no valor do bacalhau é o que mais contribui para a diminuição do valor global, enquanto o escamudo aumentou em valor e volume“, diz Eivind Hestvik Brækkan.

Em março, o valor das exportações de bacalhau da Noruega caiu, tanto em euros quanto em coroas norueguesas, em comparação com março do ano passado. Foram exportadas 6.700 toneladas de bacalhau, no valor de 301 milhões de coroas norueguesas, um aumento de 9% no volume. O valor caiu em 70 milhões de coroas norueguesas, ou seja, 19%, em comparação com março do ano passado.

Symington

Symington lança Portos Vintage 2019 e duas edições limitadas

restauração

Centros comerciais, retalho e restauração reforçam medidas para reabertura