in

Estudo da Google mostra como os portugueses usam os motores de pesquisa

Os motores de pesquisa fazem parte do dia-a-dia da maioria dos portugueses. Em concreto, 85% dos utilizadores inquiridos em Portugal utiliza estas ferramentas diariamente para pesquisar informação: 43% numa frequência de uma a cinco vezes por dia e 28% mais de 10 vezes por dia.

Mas será que o fazem da forma mais eficaz? Foi com o objetivo de responder a esta questão que a Google desenvolveu um estudo, em Portugal, sobre como e para quê usam os portugueses os motores de busca na web. Uma das principais conclusões é que a maioria dos utilizadores (58%) não conhece truques para otimizar a sua pesquisa online e quase metade (48%) afirma que gostaria de saber mais sobre como tornar a sua pesquisa mais eficiente.

 

Otimizar a pesquisa

E de que truques se está a falar? Tratam-se de operadores de pesquisa e outras ferramentas que estão disponíveis quando se usa a pesquisa Google, ou qualquer outro motor de busca, mas que nem todos os utilizadores conhecem. Nisto, o estudo mostra que dos utilizadores que dizem conhecer alguns truques para otimizar a pesquisa, mais de três quartos (77%) costuma pesquisar por categorias (imagens, vídeos, notícias, tudo, etc.) e 39% utiliza as aspas (“) para filtrar os resultados.

Contudo, e dando alguns exemplos, apenas 11% recorre ao hífen (-) para eliminar palavras que não são relevantes na pesquisa ou 4% procura por sinónimos (colocando o “~”).

A nossa missão de organizar a informação e torná-la universalmente acessível e útil é central na Pesquisa Google. Em mais de 20 anos do nosso motor de busca em Portugal, e com os avanços recentes em inteligência artificial, fizemos muitos progressos para que a pesquisa possa ser sempre o mais útil para todos: seja para encontrar algo rapidamente com truques mais simples ou para ajudar os utilizadores na sua jornada ao pesquisar e explorar mais informações”, salienta Bernardo Correia, Country Manager da Google em Portugal.

 

Mais novos são mais ágeis na pesquisa

Outra das conclusões do estudo é que há gerações que estão mais à vontade com a pesquisa online do que outras. Os Baby Boomers são a geração que mais desconhece estas dicas de otimização (72%), seguindo-se a Geração X (61%), enquanto a Geração Z e os Millennials são as únicas faixas etárias a manifestarem mais conhecimento do que desconhecimento destes truques: 58% e 57% revelam que sabem como otimizar a sua pesquisa, respetivamente.

Por outro lado, no que respeita aos dispositivos utilizados para pesquisar na Internet, a maioria dos inquiridos prefere o computador (59%) ao mobile (33%). Uma vez mais, verificam-se diferenças entre as várias gerações e também entre sexos. 60% da Geração Z e dos Millennials prefere pesquisar no telemóvel, enquanto 64% dos Baby Boomers pesquisa mais no computador, uma percentagem que baixa para os 51% no caso da Geração X. E se a maioria das mulheres recorre mais ao mobile (53%), a maior parte dos homens (60%) usa mais o computador para o mesmo efeito.

 

Atualidade e utilidade

O mesmo estudo também analisa os diferentes usos que os utilizadores dão aos motores de pesquisa e conclui que a maioria dos portugueses (61%) usa os motores de busca para aceder aos meios de comunicação para ler notícias relevantes sobre a atualidade, 43% para ter informação sobre produtos e serviços antes de fazer compras e 39% para encontrar informação útil para tarefas do dia-a-dia (tutoriais, receitas, localizações, meteorologia, etc).

Se os Baby Boomers são a geração que mais pesquisa sobre atividades de lazer (restaurantes, estadias, viagens, etc.), a Geração Z é a que procura mais informação para entretenimento (filmes, músicas, humor, etc.). Ao nível do desempenho profissional, são as Geração X e os Millennials as mais interessadas nesta temática.

Por outro lado, as utilizadoras do sexo feminino recorrem mais à pesquisa para facilitar as tarefas do seu dia-a-dia e tomar decisões de compra sobre produtos ou serviços, enquanto os homens pesquisam mais online para encontrar informações úteis para o seu desempenho profissional e para o seu entretenimento.

Publicidade

André de Carvalho deixa a Red Bull Portugal

Frulact

Grupo Frulact celebra 34 anos