in

Ervideira fecha o ano com faturação superior a 2,5 milhões de euros

DCIM100MEDIADJI_0178.JPG

A Ervideira superou as expectativas com os números apurados no final de 2019. No conjunto do ano, faturou mais de 2,5 milhões de euros, o que equivale a um crescimento de 12% face ao período homólogo.

Para a produtora, que este ano produziu 600 mil garrafas de vinho na região do Alentejo e exportou apenas 25% dessa produção para 18 países (a quebra de percentagem na exportação prende-se com o crescimento das vendas em mercado nacional e no enoturismo), os resultados atribuem-se à consolidação do posicionamento junto dos vinhos topo de gama, já que mais de 50% da faturação passa pelos vinhos da gama Conde D’Ervideira (premium e super premium), na qual se engloba o Invisível e o Vinho da Água, e ao comportamento das Ervideira Wine Shop, que tiveram um crescimento acima dos 20% e com a faturação a ultrapassar a barreira dos 600 mil euros.

De acordo com Duarte Leal da Costa, diretor executivo da Ervideira, “o enoturismo é, cada vez mais, um ‘things to do’ quando se visita uma região. A solidez da nossa oferta e o crescimento sustentado que temos verificado permite-nos assegurar que o ano de 2020 será um ano de viragem. É o ano que se assinala não só a entrada da quinta geração na empresa, mas também a aquisição da totalidade do capital social ao resto da família, num processo que envolveu um investimento de dois milhões de euros”. A Ervideira passa agora a uma estrutura de capital social com três sócios, encabeçada por Duarte Leal da Costa e os seus dois filhos (a quinta geração), mantendo-se assim a totalidade apenas num ramo da família.

O ano de 2019 foi igualmente marcado pela digitalização. A renovação do website, com especial destaque para a criação do clube de fãs online e da plataforma de e-commerce, está integrada numa estratégia de comunicação mais ampla, da qual faz igualmente parte o crescimento da influência da marca nas suas redes sociais. “A digitalização é o grande desafio para o sector vitivinícola e principalmente para nós que, pela força da nossa rede de ‘wine shops’, fidelizamos muitos clientes estrangeiros que, depois, não têm tanta facilidade de acesso à nossa marca e produtos. Agora, e graças ao nosso clube e loja, podem adquirir os nossos produtos facilmente e as vezes que quiserem”, afirma Duarte Leal da Costa.

Para o futuro, a empresa prevê “continuar a incutir um ritmo elevado no que diz respeito à inovação e à comercialização dos vinhos Ervideira, focando muito em vinhos de gama elevada”, comenta o diretor executivo. “A empresa vai apostar num reforço ao nível dos recursos humanos. A grande novidade para 2020 será a expansão dos espaços de enoturismo em pontos turísticos do país, estando já prevista uma abertura brevemente”, conclui.

Publicidade

Produção de laranja da União Europeia ao mais alto nível desde 2010

Mais portugueses vão aproveitar os saldos para fazer compras