in

Empresas portuguesas mantêm intenções de contratação positivas para o período do verão

As empresas portuguesas continuam otimistas na contratação de novos colaboradores, com os dados a mostrar uma projeção para a criação líquida de emprego de 12%, no terceiro trimestre do ano.

Embora este número seja ligeiramente inferior ao registado no trimestre passado (13%), ainda assim, indicia um aumento das oportunidades de emprego em Portugal.

As grandes empresas continuam a ser os principais impulsionadores do crescimento do emprego no período entre julho e setembro, com uma projeção para a criação líquida de emprego de 34%.

Das empresas inquiridas, 15% antecipa um aumento do emprego, 3% uma redução e 80% considera que não haverá alterações nos níveis de contratação. O estudo trimestral da ManpowerGroup recolhe as intenções de contratação de 59 mil empregadores em 44 países, 625 dos quais em Portugal.

Raúl Grijalba, Mediterranean Regional Managing Director da ManpowerGroup, refere que “as empresas portuguesas, e o sector de serviços em particular, permanecem otimistas em quanto as intenções de contratação para os próximos três meses. Uma vez mais, a época de verão confirma-se como um dos períodos com mais fortes perspetivas de contratação por parte das empresas. Se a este contexto unimos os reduzidos valores da taxa de desemprego atualmente em Portugal, torna-se claro como a atração e retenção de talento são desafios cada vez mais importantes para as empresas portuguesas. Conhecer as novas formas de relacionar-se e ser relevante para os candidatos, incorporar novas tecnologias em recursos humanos, ao mesmo tempo que asseguramos a qualidade das interações humanas, são fundamentais hoje para construir uma estratégia de êxito”.

No terceiro trimestre, o sector das finanças, seguros, imobiliário e serviços deverá ser o mais ativo no que toca a contratações, já que os empregadores revelam uma projeção de criação líquida de emprego de 26%. Os indicadores são também bastante positivos para o sector dos transportes, logística e comunicações (24%) e para o da restauração e hotelaria (25%), o que coincide com a altura do ano em que mais turistas visitam Portugal. As intenções de contração são ainda favoráveis no sector da agricultura, florestas e pescas, no sector público bem como no sector da construção, com perspetivas de 8%, 10% e de 14%, respetivamente.

Em contraciclo, apesar de apresentarem um ligeiro crescimento nas suas projeções de criação líquida de emprego (3%), as empresas no sector do comércio grossista e retalhista registam uma queda de 11 pontos percentuais com respeito à projeção para o mesmo trimestre em 2018. Esta tendência deverá também ser sentida no sector da indústria (menos oito pontos percentuais) e para o sector do fornecimento de eletricidade, gás e água, com menos 14 pontos percentuais. Quando comparado com o trimestre anterior, as perspetivas de contração descem em cinco dos nove sectores analisados.

Empresas na região Centro antecipam um aumento da contratação

Em termos geográficos, as melhores perspetivas são as dos empregadores na região Centro, que reportam uma projeção de criação líquida de emprego de 14% para o período de verão. Nas regiões Norte e Sul, as empresas mostram intenções de contratação um pouco mais moderadas (10%), sendo que a região Sul recua cinco pontos percentuais em relação ao trimestre anterior.

Na região da Grande Lisboa, espera-se uma atividade de contratação bastante otimista, com uma projeção de 12%. A região do Grande Porto é a que mostra previsões mais moderadas, com apenas 11% dos inquiridos a mostrar intenções de aumentar os quadros da empresa e uma projeção para criação líquida de emprego de 8%.

 

Intenções de contratação positivas em 43 países

O estudo da ManpowerGroup referente ao terceiro trimestre  revela que são expectáveis ganhos na criação de emprego em 43 dos 44 países e territórios participantes. Quando comparado com o trimestre anterior, os empregadores em 18 dos 44 países e territórios relatam perspetivas de contratação mais fortes.

Em comparação com o mesmo período do ano passado, as intenções de contratação são mais fortes em 12 países e territórios, mas enfraquecem em 26, permanecendo inalteradas em seis. As intenções de contratação são mais fortes no Japão, Croácia, Taiwan, Estados Unidos, Grécia e Eslovénia, enquanto que as perspetivas de contratação mais fracas são relatadas na Hungria, Argentina, Itália e Espanha.

Publicidade

Publicidade

Schindler Portugal alcança a nova norma para a saúde e segurança no trabalho

Henkel aposta na digitalização com app de pagamentos no canal de vendas