Emergir com novas estratégias num mundo ditado pela alimentação saudável

Fátima Vila Maior - diretora de Área de Feiras da FIL

A inovação e tendências do sector agroalimentar estão a ser comandadas pelos novos estilos de vida, nos quais a alimentação é tirana e a saúde a verdadeira ditadora. A população portuguesa obedece a esta hierarquia quando procura produtos mais nutritivos e com menos açúcar, sal ou gordura ou quando elege produtos biológicos ou free from – glúten ou lactose – no seu carrinho de compras. Não é ao acaso que observamos os artigos veggie e vegan a multiplicarem-se nas prateleiras e as zonas “saudáveis” dos hipermercados a alargaram a sua área de exposição. Um reflexo da adaptação do sector, que procura atualizar-se e responder às novas necessidades dos clientes, caracterizados na sua maioria pelos tão falados millennials.

Com esta conjuntura surgem, naturalmente, oportunidades para as empresas agroalimentares, para o retalho e para toda a distribuição, tornando-se necessário criar e definir novas estratégias – de sucesso, claro.

Não tenho dúvidas de que as empresas estão atentas ao consumidor, mas é também imperativo que estejam atentas ao atual mercado e ao que, realmente, está a ser implementado em Portugal e no mundo. Conhecer a concorrência e outros segmentos de negócio é fundamental, porque é aí que vamos encontrar insights relevantes para delinear e montar a melhor estratégia.

E para conhecermos mais sobre os sectores da Alimentação e Bebidas, da Distribuição e da Hotelaria e Restauração, não há nada melhor do que ver de perto as suas práticas e ‘beber’ do seu know-how e experiência. Este ano, os profissionais destas áreas de negócio podem contar com a Alimentaria&Horexpo Lisboa, a decorrer já no mês de março, com três dias dedicados exclusivamente à partilha de conhecimentos que pretendem gerar o aumento de competências dos profissionais e, se possível, criar novas sinergias para todos os visitantes. É neste salão internacional que se pode descobrir os novos conceitos do mercado nacional e as novidades internacionais. Debates, palestras, reuniões e programas sobre os temas que preocupam agora estes sectores não faltarão, estando confirmadas à data mais de 1.500 marcas neste evento, prontas para sentar, falar e criar eventuais parcerias win-win.

Responder aos atuais desafios do consumidor exige inovação e as empresas portuguesas do sector agroalimentar têm demonstrado, ano após ano, a sua constante resiliência e dinâmica. No entanto, não podem descurar esta oportunidade de potenciar o seu know-how relativo ao mercado e, desta forma, ganhar ainda mais competitividade no seu sector, aumentando a sua proposta de valor ao consumidor, que está em constante mutação e, cada vez mais, rigoroso face às marcas que compra.

Walgreens instala lineares que elaboram perfis de compradores

Volume de negócios da Unilever desce 5,1%