retalho mundial
in

Efeitos da pandemia refletidos na lista 50 maiores retalhistas globais

2020 foi um ano de consternação e de confusão, mas, paradoxalmente, para muitos operadores de retalho alimentar, terá sido o melhor ano da sua história, face à resposta a toda uma nova série de necessidades dos shoppers derivadas da pandemia. Contudo, para outros, especialmente os localizados em centros comerciais, zonas de serviços ou em países onde os confinamentos foram muito rigorosos, foi um ano de perdas elevadas. Estes cenários encontram-se refletidos no Top 50 Global Retailers, uma publicação da National Retail Federation (NRF) em colaboração com a Kantar.

A Walmart continua a ser o maior retalhista do mundo, considerando o seu desempenho quer no seu mercado doméstico, quer a nível internacional. Não obstante, está a ser claramente desafiada pela Amazon, Alibaba e pela estreante no top 10 JD.com, todos retalhistas de base digital, que apresentaram um massivo crescimento no volume de mercadorias transacionadas.

 

Ranking

Segundo os responsáveis pelo estudo, a lista Top 50 Global Retailers não se baseia apenas nas vendas, mas sim num sistema de pontos que é atribuído aos retalhistas com base nas suas receitas internacionais, a sua participação em acordos de franchising e alianças fora do seu mercado doméstico e a sua capacidade para vender em marketplaces. Para se qualificar, os retalhistas têm de ter feito um investimento direto em, pelo menos, três países e, pelo menos, um dos quais não seja adjacente ao mercado doméstico.

Cinco retalhistas no top 20 não mudaram dramaticamente de posição, no ano passado, e estão em mercados domésticos altamente competitivos. Estes retalhistas, entre os quais a Walgreens Boots Alliance (11.ª) e a The Home Depot (15.ª) estão a criar novas formas de interagir com os consumidores através de soluções omnicanal e investimentos que integrem o in-store e o online.

A Auchan (12.ª) continua a ter uma operação bem-sucedida na Rússia, embora tenha vendido o negócio na China ao Alibaba e saído do Vietname e de Itália. A Seven & I Holdings (13.ª), detentora do franchising 7-Eleven, e a Spar International (14.ª) gerem modelos de franquias onde grande parte das operações de internacionalização é feita pelos parceiros.

 

Subidas e descidas

A Tesco (17.ª) e a Metro AG (21.ª) continuam a cair na lista. O Casino (22.º) dividiu-se em diferentes grupos regionais, conseguindo crescer na América Latina.

A Rakuten (37.ª) e a eBay (38.ª) continuam a inovar para além dos seus modelos de negócio originais em novas iniciativas de retalho e mercados internacionais. Por seu turno, a McDonald’s (33.ª) e a Starbucks (40.ª) continuam a surpreender o mercado com a introdução de novos formatos de loja, acrescentando a automatização em loja e integrando o retalho online e tecnologias financeiras. Ambas encontraram novas oportunidades de expansão em localidades de forte tráfego, centros empresariais e parcerias com o delivery.

Um conjunto de retalhistas regionais destaca-se nesta lista pela sua excelência operacional, incluindo a Lowe’s (24.ª), Grupo Adeo (28.º) e Kingfisher (41.º). Especialistas em tecnologia, como a Ceconomy, casa-mãe da Media Markt/Saturn (32.ª), Best Buy (34.ª) e Euronics (49.ª) continuam a ser bem-sucedidas mesmo numa área que concorre diretamente com os “pure players” globais.

 

2021

A lista de 2021 promete mudanças, numa altura em que os retalhistas se procuram ajustar a um novo shopper que emerge dos confinamentos e a novas condições económicas. A competência omnicanal será valorizada pela maioria dos clientes de todos os níveis de rendimento, nos vários mercados. De acordo com a NFR, as próximas avaliações terão como base a resposta às necessidades locais e as estratégias e execução globais, assim como a exploração de novos serviços para o shopper.

 

Posição Retalhista Receitas internacionais

(mil milhões de dólares)

1 Walmart 120,13
2 Amazon.com 74,72
3 Grupo Schwarz 84,96
4 Aldi 84,89
5 Alibaba 23,24
6 Costco 43,73
7 Ahold Delhaize 60,70
8 Carrefour 42,94
9 Ikea 44
10 JD.com 8,70
11 Walgreens Boots Alliance 10
12 Auchan 31,53
13 Seven & I Holdings 25,05
14 Spar International 33,48
15 The Home Depot 8,89
16 Rewe Group 20,49
17 Tesco 14,83
18 Inditex 27,21
19 Intermarché 15,75
20 Aeon 7,08
21 Metro AG 23,43
22 Casino 18,66
23 H&M 23,65
24 Lowe’s 4,79
25 A.S. Watson 18,18
26 Jerónimo Martins 16,93
27 TJX 9,70
28 Adeo Group 15,38
29 Naspers 13,06
30 Leclerc * 2,88
31 Yum Brands + Yum China 12
32 Ceconomy 11,77
33 McDonald’s 12,65
34 Best Buy 3,52
35 Couche-Tard 12,36
36 FamilyMart UNY 6,53
37 Rakuten 0,58
38 eBay 6,46
39 Decathlon 10,38
40 Starbucks 6,64
41 Kingfisher 9,60
42 Fast Retailing 8,22
43 Dairy Farm 8,08
44 Cencosud 6,91
45 Gap 2,99
46 ICA Group 3,61
47 Lotte Shopping 1,89
48 Z Holdings (Yahoo Jp) 0,48
49 Euronics International * 2,11
50 Lawson 0,52

*Valores de 2019

Marks & Spencer

Lucro da Marks & Spencer cai 88% devido ao impacto da Covid-19

Coca-Cola

Coca-Cola investigada pela Comissão Europeia