in

E-commerce: três tendências de futuro para a entrega de encomendas

encomendas

O aumento das compras online, que foi também potenciado pela pandemia, levou ao surgimento de novas necessidades por parte dos consumidores e trouxe mais desafios no que toca aos processos de entrega de encomendas. Nesse sentido, torna-se ainda mais importante que os retalhistas se adaptem às novas exigências e pensem sobre o que será o futuro destes processos, de forma a serem cada vez mais digitais, eficientes e rápidos, sem deixarem de ser personalizados.

É perante este contexto que a Bloq.it, startup portuguesa que desenvolve tecnologia para cacifos inteligentes, aponta três tendências de futuro que as empresas devem ter em conta, para que possam entregar os seus produtos aos consumidores, através de um processo eficaz e acompanhando as exigências emergentes dos clientes, nesta nova era tecnológica.

A Bloq.It, só em Portugal, tem mais de 700 cacifos espalhados pelo país e parcerias com dezenas de empresas, como a Galp, El Corte Inglés e Glintt.

 

Aplicar tecnologia de monitorização

O acompanhamento quase ao minuto é o mínimo que os clientes esperam, durante todo o processo de entrega. Atualmente, os estafetas já conseguem partilhar com o consumidor o estado de cada encomenda, sempre que surgem novos desenvolvimentos.

No entanto, em muitos casos, há ainda dificuldade em manter esta comunicação transparente em todas as fases. Face a isto, a tendência passará, cada vez mais, por uma visão completa das condições da encomenda, com a inclusão de dados como a temperatura ou rotas exatas, possível através da Internet das Coisas, e que permite que o consumidor tenha acesso ao máximo de informação.

 

Optar por sistemas de gestão de frota híbridos

Tradicionalmente, os estafetas e serviços de entrega costumam ser externos às empresas, mas este aspeto está a mudar. A tendência que marcará o futuro é que os retalhistas optem cada vez mais por ter parte da sua frota interna, começando a ter opções de estafetas internos, de modo a conseguirem obter um melhor controlo do processo de entregas, através de um modelo híbrido.

 

Adotar soluções de cacifos inteligentes

Os cacifos inteligentes serão cada vez mais uma solução para o último momento do processo, já que podem ser considerados pontos de recolha de encomendas mais eficientes. Desta forma, em vez de os estafetas terem que ir porta a porta para entregar cada produto, com esta opção, o processo é mais rápido e sustentável, permitindo ao cliente poder recolher a sua encomenda a qualquer momento, em vez de estar num local a uma hora específica e ter de aguardar pela chegada do estafeta para a receber.

faturação

Turismo impulsiona aumento de 45% da faturação dos negócios no primeiro semestre

Cachaça 51

Companhia Müller lança em Portugal edição especial da Cachaça 51