in

Danone poderá ser objeto de uma OPA

Nos últimos tempos, a Danone tornou-se um clássico entre as empresas europeias que poderiam ser objeto de uma oferta pública de aquisição. Em junho 2014 as suas ações dispararam com um relatório da Natixis em que se apontavam a PepsiCo e a Nestlé como possíveis interessados numa OPA. Um ano depois, em julho de 2015, a Danone chegou a disparar mais de 10% em bolsa com o rumor de uma oferta da PepsiCo.

Desta vez, são os analistas do BNP Paribas que reativam a especulação. A empresa de investimento sublinha que a confirmação da maioria absoluta ganha pelo liberal, Emmanuel Macron, no Parlamento francês poderia suavizar os obstáculos que França tradicionalmente à compra das suas empresas por organizações estrangeiras.

Emmanuedl Macron também teve um papel de destaque numa das operações mais importantes nos últimos anos do sector da alimentação. Em 2012, quando trabalhava na Rothschild, serviu como assessor para a compra da divisão de comida para bebé da Pfizer pela Nestlé, no valor de 12.000 milhões de dólares.

Sem perder de vista as mudanças na frente do Governo francês, os analistas indicam agora a Kraft Heinz como principal candidata a lançar uma oferta de aquisição pela Danone. A PepsiCo e a Coca-Cola poderiam ampliar a lista de partes interessadas., de acordo com a empresa francesa.

Os investidores encontram estímulos adicionais para tomar posições na Danone e enfatizam que uma possível oferta pública de aquisição poderia implicar um prémio próximo de 40% na sua avaliação.

As ações da Danone ampliaram as suas subidas na Bolsa de Paris e alcançaram os máximos de nove meses desde setembro de 2016. A capitalização do grupo excede 45.000 milhões de euros.

Publicidade

José Maria da Fonseca inaugura montra dinâmica na Garrafeira Nacional

Primavera certifica parceiros nas áreas da manutenção de ativos, logística e transformação digital