in

Cushman & Wakefield revela os oito eixos logísticos da Europa no futuro

A Cushman & Wakefield publicou recentemente um novo estudo que identifica os oito novos eixos logísticos que irão emergir na Europa, até 2030, e que marcarão a evolução do mercado logístico da região na próxima década.

Segundo a publicação “The Changing Face of Distribution: The Shape of Things to Come”, o principal corredor de distribuição da Europa, que vai do Benelux até ao Norte de Itália (chamado de “Banana Azul”), está a expandir-se para vários outros eixos, fruto da expansão da União Europeia e do investimento em novas vias rodoviárias.

Mas não serão apenas as infraestruturas de transportes que vão alterar a dinâmica da logística na Europa. O forte crescimento expectável para os volumes de carga, o aumento dos custos de transporte, a falta de mão-de-obra e o congestionamento crescente nas estradas servirão também como motor de mudança. Todos estes fenómenos serão fortemente influenciados pelas expectativas de crescimento do comércio eletrónico e pelo impacto das novas tecnologias na atividade logística

A Banana Azul canaliza o comércio internacional para a Europa por via dos portos da zona do Benelux, através da Renânia alemã para o Norte de Itália. A crescente importância dos portos do Mediterrâneo fará crescer este corredor para Génova, em Itália.

Depois da conclusão do Brexit, quando as vias rodoviárias e ferroviárias deixarem de fazer parte do corredor Mar do Norte – Mar Mediterrâneo da Trans-European Transport Network (TEN-T), as cadeias de abastecimento serão cada vez mais focadas a nível local. É esperado que com o Brexit aumente a dependência logística nos portos do Reino Unido.

Uma nova rota marítima está a desenvolver-se entre os portos de Cork e Dublin, na Irlanda, e os portos de Zeebrugge e Antuérpia, na Bélgica. É provável que, pela reduzida capacidade do porto de Zeebrugge, o tráfego seja também dirigido para Ghent, na Bélgica, e para Zeeland, na Holanda.

A disponibilidade de mão-de-obra qualificada e a custo competitivo em Espanha e Portugal estão já a atrair as grandes marcas de automóveis alemãs. As novas linhas ferroviárias e o aparecimento de outras ligações de transporte fazem prever um aumento do volume de distribuição na região nos próximos cinco a sete anos.

O desenvolvimento das rodo e ferrovias TEN-T melhorou a distribuição ao longo do corredor da Europa Central. Com a sua possível extensão para o Norte de Itália, é expectável a sua ligação à Banana Azul através de Bolonha e Milão.

A distribuição ao longo do corredor do Mar do Norte, que liga Hamburgo com Copenhaga e Malmo, irá aumentar substancialmente com a conclusão da construção do túnel Rodby-Puttgarden, em 2021.

No futuro existirá um corredor ligado à Banana Azul, assim que a rodovia e ferrovia TEN-T estiver completa entre Budapeste e o Mar Negro. Como resultado, o mercado romeno terá um papel importante.

A crescente importância do Báltico como localização fabril vai depender da construção da auto estrada e ferrovia TEN-T que irão ligar esta região à Finlândia, Polónia, República Checa e Alemanha. Este corredor de distribuição deverá, no entanto, desenvolver-se a longo prazo, tendo em conta o investimento significativo que o projeto requer.

A atividade logística em toda a Europa vai passar por uma profunda transformação nos próximos anos, apontando as estimativas do Eurostat para que a procura de transportes de mercadorias na Europa Continental triplique, entre 2010 e 2050. São expectáveis aumentos significativos nos custos operacionais, fruto do elevado impacto ambiental deste tipo de transporte, que está a pressionar os operadores a adaptarem as suas cadeias de distribuição e recursos energéticos.

Publicidade

Publicidade

Jeronymo & Hussel já chegaram à Gare do Oriente

Consumidores portugueses ligados às promoções