in

Crescimento generalizado das taxas de incumprimento empresarial na Europa

De acordo com os resultados do último Barómetro de Práticas de Pagamento divulgado pela Crédito y Caución, a Grécia regista a mais elevada taxa de incumprimento na Europa Ocidental, em 2019, que atinge 3% das transações comerciais entre empresas.

No entanto, os dados mais relevantes do estudo referem-se ao aumento generalizado dos níveis de incumprimento na maioria dos mercados de proximidade. À medida que o crescimento económico global desacelera e o sector manufatureiro luta contra a deterioração do comércio, a Europa Ocidental enfrenta um aumento de 2,7% nas insolvências, em 2019, o primeiro aumento anual na região em anos. Neste contexto, as taxas de incumprimento revelam um aumento significativo.

Dos 13 mercados analisados na Europa Ocidental, apenas dois, Dinamarca e Itália, reduzem a sua taxa de incumprimento nas transações comerciais entre empresas. Os maiores aumentos, entre 14 e 17 décimas, registam-se na Áustria (de 0,7% para 2,4%), na Suíça (de 0,8% para 2,3%) e na Alemanha (de 0,7% para 2,1%). Os três mercados germânicos da Europa Central passam de taxas inferiores a 1%, em 2018, para valores que superam os 2%. Num segundo bloco, a Bélgica (de 1% para 2%), a Suécia (de 1% para 2%) e o Reino Unido (de 1,5% para 2,5%) ganham um ponto percentual, o que também significa uma alteração significativa no risco de incumprimento comercial das empresas portuguesas que exportam para esses mercados. Irlanda (de 1% para 2%), Espanha (de 1,5% evolui para 2,4%), França (1,1% para 1,9%), Holanda (0,9% para 1,3%) ou mesmo a Grécia (de 2,8% para 3%) apresentam agravamentos mais ligeiros.

O sector agrícola tem a maior taxa de incumprimento da região (de 1,7% em 2018 para 2,7%, em 2019), seguido por máquinas (de 1,2% para 2,4%), bens de consumo duradouro (de 1,1% para 2,0%), eletrónica (de 1% para 1,9%), serviços (de 1% para 1,8%), alimentação (de 1,3% para 1,8%) e têxtil (de 1,1% para 1,4%). Apesar de serem as mais rápidas na recuperação de pagamentos em atraso, as micro empresas da Europa Ocidental registaram um aumento das taxas de incumprimento (de 1% para 1,4%). Este aumento foi ainda mais pronunciado entre as PME (de 1,6% para 2,6%) e as grandes empresas (de 1,4% para 2,4%).

Nobre Vegalia lança novos produtos

Makro inaugura Makropédia na loja de Matosinhos