in

Covid-19 com impacto positivo a longo prazo no e-commerce

O estudo “Covid-19 Impact on Ecommerce” feito pela GlobalData revela que o novo coronavírus terá um efeito positivo a longo prazo no sector do comércio eletrónico, já que até mesmo os consumidores mais céticos se viram obrigados a comprar online devido às restrições de circulação.

O estudo recorda que o e-commerce já está a desempenhar um papel fundamental na luta contra a pandemia e que os retalhistas online estão a registar uma avalanche de pedidos dos clientes que estão confinados nos seus lares.

A este respeito, Luke Gowland, analista da GlobalData, assinala que “a Covid-19 deu um impulso ao sector do comércio eletrónico e os retalhistas de base alimentar são os principais beneficiados. Os supermercados estão a experimentar uma procura sem precedentes para a entrega ao domicílio de alimentos. Por exemplo, espera-se que o mercado online alimentar do Reino Unido cresça quase 20% em 2020, para os 13.200 milhões de libras”.

 

Quedas nas vendas online no Reino Unido

Não obstante, as medidas de distanciamento social deram um duro golpe no retalho de moda. A GlobalData estima uma queda nas vendas online no Reino Unido de 7,9% face aos níveis de 2019.

Mas os “players” mais afetados serão, provavelmente, as agências de viagens e os agentes imobiliários, assim como as plataformas de reserva de transporte, como a Uber. No mercado britânico, Lyft e Uber experimentaram uma diminuição nas reservas de 75% e 80%, respetivamente.

Publicidade

marcas

50% das vendas perdidas pelas marcas deve-se ao desinvestimento publicitário

portugueses

30% dos portugueses com menos 581€ para gastar nas férias