in

Consumidores optam por produtos do mar para seguirem dietas mais sustentáveis

Dois terços das pessoas já fizeram alterações nas suas dietas de forma a tornarem-nas mais sustentáveis e a tendência é ainda mais acentuada entre os consumidores frequentes de produtos do mar, de acordo com um estudo recente realizado pela Kantar em nome do Norwegian Seafood Council.

Contando com mais de 25.000 consumidores inquiridos em 20 mercados diferentes, este é o maior estudo alguma vez realizado no que respeita a consumidores de produtos do mar e oferece uma visão inestimável sobre os seus comportamentos e preferências ao longo do tempo.

Três quartos dos que relatam que consomem produtos do mar uma vez por semana, ou mais, afirmam que já fizeram alterações na sua dieta familiar de modo a terem uma alimentação mais sustentável, em comparação com pouco mais de metade (56%) daqueles que comem produtos do mar com menos frequência.

Esta ligação clara entre consumo de produtos do mar e sustentabilidade não nos surpreende. As pessoas querem saber cada vez mais de onde vêm os alimentos que consomem e comer produtos do mar de origem mais sustentável é uma boa forma de tornar a sua dieta mais sustentável também”, afirma Tom Jørgen Gangsø, diretor de estratégia de mercado do Norwegian Seafood Council

No entanto, salienta que o estudo se baseia no consumo e nas atitudes declaradas, sendo que pode existir uma diferença entre o que as pessoas pensam e o que realmente fazem.

Contudo, é uma indicação clara de que as pessoas querem fazer escolhas mais informadas sobre a comida que comem”, salienta Gangsø.

O mesmo estudo concluiu ainda que três em cada quatro inquiridos querem comer mais produtos do mar no futuro.

Jovens consumidores conduzem a mudança na Europa

Embora a correlação entre o consumo de produtos do mar e as alterações na dieta seja um ponto comum em todos os mercados analisados, foram também observadas grandes diferenças.

Curiosamente, observamos que em países ocidentais como o Reino Unido, Estados Unidos e Espanha esta tendência é impulsionada pelas faixas etárias mais jovens, que fizeram alterações nas suas dietas, enquanto nos mercados asiáticos o padrão é semelhante em todas as idades e muito mais forte”, afirma Gangsø.

Na China e na Tailândia, mais de 8 em cada 10 inquiridos afirmaram ter feito alterações nas suas dietas para serem mais sustentáveis. Isto, comparado com cerca de 60% na maioria dos mercados europeus.

Esta informação destaca a importância de comunicar aos consumidores que a escolha de produtos do mar sustentáveis pode desempenhar um papel importante na solução para as mudanças climáticas. Produtos do mar de origem responsável são uma opção deliciosa, saudável e sustentável e, por isso, encaixa-se perfeitamente com as tendências de consumo atuais”, refere Gangsø.

Comer mais produtos do mar faz parte da solução para combater as alterações climáticas, de acordo com o relatório High Level Panel for a Sustainable Ocean Economy

Publicidade

Pepper

Centros Comerciais da Sonae Sierra têm robô humanoide

GS1 Portugal

GS1 Portugal apoia participação de empresas portuguesas em Hackathon internacional