in

Consumidores mais sensíveis ao preço

5 em cada 10 espanhóis compraram produtos mais baratos durante o confinamento

Foto Shutterstock

A irrupção da Covid-19 e a incerteza a que deu lugar está a fazer com que os consumidores sejam mais sensíveis ao preço. Em Espanha, por exemplo, um estudo da Adecco Alimentación indica que 53% optou por produtos mais baratos durante o confinamento. Destes, 35% aportou em marcas da distribuição, como estratégia para reduzir os gastos.

O estudo revela ainda que 29% conseguiu diminuir o montante despendido graças a ofertas e descontos e 11% substituiu os alimentos de maior valor, como a carne de bovino e o peixe, por produtos mais económicos, como o frango e a alimentação seca.

 

Preço como principal fator de decisão

Pela primeira vez, o preço converteu-se no principal fator de decisão no momento de selecionar a loja onde comprar, um ato que se tornou muito menos impulsivo. Agora, o consumidor compara e procura as opções mais económicas.

O estudo nota que, antes da pandemia, apenas 19% dos espanhóis afirmavam comprar nas pequenas lojas, face a 39% que o fazia nas grandes superfícies. A percentagem dos que optam agora pelo comércio de proximidade cresceu para 21%.

De facto, viver confinado fez com que se adotassem novos comportamentos. A Adecco Alimentación sublinha que ainda não se sabe se esses hábitos irão perdurar, uma vez que existe uma grande incerteza a médio e longo prazo. “O que é certo é que se prevê, pelo menos inicialmente, um consumo racional e focado na poupança por parte dos consumidores, assim como uma aposta pelo produto de proximidade, isto é, uma espécie de regresso ao local, ao produto mais próximo”, afirma Mila Montañana, diretora da Adecco Alimentación.

Publicidade

Centro comercial

Portugal e Espanha com 728 centros comerciais

Lipton

Apesar do lucro, Unilever mantém decisão de desinvestir da categoria de chá