in

Construção de novos centros comerciais na Europa começa a abrandar

Segundo a última edição do estudo “European Shopping Centre Development” publicado pela Cushman & Wakefield, a construção de novos centros comerciais na Europa começou a abrandar, sinal de maturidade do mercado.

Nas duas últimas décadas, uma média de 5,4 milhões de metros quadrados de novo espaço de centros comerciais foi construída todos os anos, mas a previsão anual para 2018 e 2019 é de apenas 3,5 milhões de metros quadrados.

A razão deste abrandamento prende-se com a maturidade de vários mercados e também por um aumento das compras online que fazem decrescer as necessidades de espaço. O estudo aponta ainda para as oportunidades de reabilitação de centros comerciais existentes, já que um terço dos centros comerciais na Europa tem mais de 20 anos.

Nos primeiros seis meses de 2018, foram construídos na Europa Ocidental 373 mil metros quadrados de novo espaço comercial, um aumento de 8,2% em relação ao ano anterior, elevando o stock total para 108,8 milhões de metros quadrados. No segundo semestre do ano e até ao final de 2019, está prevista a abertura de mais 2,1 milhões de metros quadrados, retratando uma queda de 25% face ao período homólogo.

A Europa Central e de Leste, ainda que seja um mercado menos maduro, revela também um desacelerar na promoção de centros comerciais. No primeiro semestre, foram construídos mais 676 mil metros quadrados e espera-se a abertura de quatro milhões de metros quadrados até ao final de 2019, um decréscimo de 2,4% comparativamente com o período homólogo.

O Reino Unido foi o país que registou maior volume de nova oferta comercial na Europa Ocidental, com mais 90 mil metros quadrados inaugurados na primeira metade do ano, em grande parte justificados pela expansão de 69 mil metros quadrados do Westfield Shopping Centre, em White City, Londres.

Na Europa Central e de Leste, a Turquia foi o país que registou o maior número de aberturas, com 358 mil metros quadrados inaugurados nos primeiros meses de 2018, representando, mesmo assim, uma queda de quase 40% relativamente ao mesmo período de 2017.

Em Portugal, a maturidade do mercado de centros comerciais também se tem revelado através de uma menor atividade na promoção de novos projetos. No primeiro semestre de 2018, não foram inaugurados novos conjuntos comerciais no país e até ao final do ano espera-se um aumento na nova oferta de apenas 13 mil metros quadrados, resultante da expansão do centro comercial Oeiras Parque, da Mundicenter, e da inauguração de uma galeria comercial na Madeira, parte do Hotel Savoy. Os restantes projetos em “pipeline” correspondem à expansão de centros comerciais existentes, nomeadamente o NorteShopping e o Centro Colombo, da Sonae, e o Glicinias Plaza, em Aveiro, do Grupo LBM.

Publicidade

Publicidade

ASAE apreende mais de 70 mil euros de artigos contrafeitos

55% dos portugueses têm créditos ou cartões de crédito