in

Associados da Centromarca oferecem salas de pressão negativa

depois do Covid-19

A Centromarca uniu os esforços dos seus 52 associados numa ação solidária para ajudar a colmatar a necessidade de salas de pressão negativa no Serviço Nacional de Saúde.

Hospitais de Lisboa, Porto e Coimbra recebem estes equipamentos, num valor total de cerca de 50 mil euros, já no decurso desta semana. “Pretendemos contribuir para quem está, na linha da frente, a combater a pandemia da Covid-19 em Portugal. Fomos alertados para a carência destas salas de pressão negativa nas principais unidades hospitalares e decidimos contribuir nesse sentido”, afirma Pedro Pimentel, diretor geral da Centromarca.

Identificados três hospitais cuja emergência nesta compra era maior – Hospital de Santo António (Porto), Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (que integra os hospitais de Santa Maria e Pulido Valente), a Centromarca encomendou os equipamentos a um fabricante português com sede no Porto.

Concebidas e desenvolvidas por especialistas portugueses, e quase exclusivamente de materiais produzidos em Portugal, as salas vão ser entregues para imediata instalação durante esta semana. “Trata-se de uma resposta eficaz e em tempo útil aos problemas sentidos, a somar à boa gestão que o sistema de saúde está a fazer perante esta crise inédita e avassaladora. Esta gestão é também um sinal positivo que o país dá ao mundo, fundamental para o difícil período de regresso à normalidade e de recuperação económica que vamos atravessar”, conclui Pedro Pimentel.

As salas de pressão negativa funcionam através de um sistema de ventilação que permite a renovação contínua do ar e a manutenção da pressão atmosférica a níveis mais baixos do que os restantes espaços dos hospitais. O objetivo é impedir que o ar contaminado saia e que o vírus se espalhe e infete outras zonas.

Adega de Monção cria loja online

Salsa

Sonae compra totalidade da Salsa