in ,

Calor intenso e teletrabalho provocam aumento expressivo nas vendas de ventoinhas e de ar condicionado

Aumento total verificado nas aquisições de climatizadores foi de 174,42% face ao mesmo período do ano passado

Foto Shutterstock

Os termómetros acima dos 35 graus têm provocado uma corrida na aquisição de climatizadores, revela uma pesquisa do KuantoKusta, que viu as vendas totais crescerem 174,42% em relação ao mesmo período do ano passado.

É ainda mais expressivo o aumento refletido em cada tipo de eletrodoméstico, em que a busca por ar condicionado subiu 150, e por ventoinhas 340%.
De acordo com a plataforma, outro fator responsável pelo aumento nas aquisições dos produtos foi o teletrabalho, que manteve um milhão de pessoas em casa, no segundo trimestre do ano, conforme inquérito do Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

Procura por modelos mais simples

O KuantoKusta contou 217.998 consultas pelos artigos na plataforma e indica Lisboa, Porto, Almada, Coimbra, Braga e Albufeira como as cidades onde existe maior procura pelos aparelhos, em que os modelos mais simples, como é o caso de ventoinhas e ares condicionados portáteis, são a escolha da maioria dos utilizadores entre 35 e 44 anos.
Esses números revelam uma nova tendência do mercado, já que no ano passado a preferência era por aparelhos fixos, de parede.
A taxa de conversão das lojas parceiras ficou em 4%, o que gerou cerca de 8.720 vendas, a um custo médio de 390 euros por cada produto adquirido, e que, segundo a pesquisa, manteve a Whirlpool, Daikin e LG como as marcas de preferência dos clientes.

Pandemia leva a um outro olhar sobre as casas

Também o OLX confirma este aumento da procura por ventoinhas (+339%) e ar condicionado (+83%), no mês de junho. Com base nos dados disponíveis na plataforma, é também possível verificar um aumento significativo do lado da oferta, com mais 83% de anúncios relacionados com ar condicionado e mais 33% em ventoinhas.

A pandemia ensinou as pessoas a olharem para as suas casas de forma diferente. Passaram a valorizar aspetos até aqui deixados para segundo plano e que comprometiam, de certa forma, o total conforto do lar. Se juntarmos a esta realidade um dos verões mais quentes e secos dos últimos anos, percebemos que o OLX acaba por ser uma boa solução para quem, em tempos difíceis, quer melhorar a sua comodidade sem grandes custos. Estes dados refletem bem o maior valor que os portugueses dão agora ao estar em casa”, justifica Andreia Pacheco, Brand Manager do OLX Portugal.

Após uma quebra na procura por “ar condicionado”, de maio a junho (-22%), o número de pessoas que pesquisaram este aparelho cresceu significativamente (+345%) de junho a julho. No que diz respeito às ventoinhas, o cenário é idêntico, com uma descida de 67% entre o quinto e o sexto mês do ano e de seguida uma subida de 370%.

Do lado da oferta, quanto aos anúncios ativos de ar condicionado, a plataforma passou dos 2.714 para 3.492, observando-se um aumento de 29%. Já o número de anúncios ativos de ventoinhas cresceu de 712 para 839, o que representa um aumento de 18%.

Dentro da categoria de Móveis, Casa e Jardim, a expressão “ar condicionado” passou a fazer parte do top 10 das mais pesquisadas na plataforma, ocupando o segundo lugar.  “Ar condicionado portátil” ocupa a quinta posição e, por fim, “ventoinhas” encontra-se no sétimo lugar.

Quanto ao preço médio de cada aparelho, de janeiro a julho, verifica-se que existe uma grande diferença entre o preço mínimo e preço máximo praticado, que varia de acordo com as características do aparelho. No entanto, no caso do ar condicionado, os preços apresentam uma janela de intervalo entre os 250 e 5.600 euros.

Publicidade

Henkel

Henkel lança difusor com fórmula sustentável

Compal

Compal lança novo sabor Damasco Maracujá