in

Caiado com nova imagem

A marca Caiado, da Adega Mayor, “cresceu” e tem uma nova imagem, mais moderna, sóbria e elegante.

A gama está mais afirmativa e atual, mas preservando os valores e a “alma” alentejana. A nova imagem, já disponível em todo o mercado, mantém o traço original da técnica que dá nome a esta marca e que ganha expressão máxima no símbolo circular presente em toda a sua comunicação. Explorando contrastes de cor e escala com a própria marca, este símbolo assume-se como elemento central e transversal desta identidade. Da mesma forma, o novo “lettering” transmite um posicionamento mais contemporâneo, mas fiel ao espírito do Caiado, um vinho transversal, jovem e fresco.

Esta nova identidade visual está agora patente em toda a gama -Tinto, Branco e Rosé – na nova colheita de 2015.  Caiado Branco 2015 caracteriza-se por ser um vinho de aspeto límpido e cristalino e de cor citrina. No nariz sugere notas de limão e ananás maduro, complementadas por um toque floral e uma sensação de mineralidade. Na boca surpreende pela frescura e harmonia, terminando longo. A frescura e expressividade deste vinho são ingredientes perfeitos para acompanhar peixe grelhado, mariscos, carnes brancas e saladas. Produzido a partir das castas Antão Vaz, Arinto e Roupeiro.

O Caiado Rosé 2015, com um cor rosa forte, quase avermelhado, apresenta um aspeto delicado, brilhante e translúcido. No aroma sugere fruta vermelha fresca, morangos e cerejas num fundo acídulo e exótico. A boca segue a sugestão do nariz e a doçura e intensidade da fruta culminam num final longo. A sua vivacidade combina com gastronomia asiática, comida com um toque de especiarias e é um bom complemento ao sushi. É o parceiro ideal para um bom grelhado, um prato de marisco ou uma simples e saudável salada. Produzido a partir das castas Aragonez, Castelão e Touriga Nacional.

Por último, o Caiado Tinto 2015, de cor violeta-ruby, denota um aspeto puro. No nariz transmite juventude, pleno de fruta vermelha doce e concentrada que remete para uma sensação de compota quase rebuçado. No palato é sedoso, onde a acidez, a fruta fresca e os taninos salientes, mas corretos, traçam um perfil equilibrado e genuinamente alentejano. A personalidade deste jovem tinto alentejano permite-lhe uma enorme abrangência gastronómica. É um bom acompanhamento para pastas e massas ligeiras, bem como para queijos e enchidos. Releva-se uma excelente companhia numa tarde de churrasco, acompanhando as mais variadas carnes. Produzido a partir das castas Aragonez, Trincadeira e Alfrocheiro.

Publicidade

Sonasol reconhecida como “Marca de Confiança”

Daura Damm chega a Portugal