Foto Shutterstock
in , , , ,

Bens de grande consumo ultrapassam os 9 mil milhões euros e crescem 2,8%

Na última quadrissemana de 2018 (de 3 a 30 de dezembro), correspondente ao período de Natal, os bens de grande consumo apresentaram um dinamismo de 1% sobre um período homólogo que já era muito positivo.

De acordo com os dados da Nielsen, neste Natal, as responsáveis por este crescimento foram as marcas de fabricante (+1,9%) contra um decréscimo de 1% das marcas da distribuição.
No total do ano, os bens de grande consumo aumentaram 2,8%, com as marcas de fabricante (+3,3%) a crescerem acima das marcas da distribuição (+1,9%).

Em dezembro, o sector da alimentação manteve-se estável em relação ao período homólogo (+0,1%). As marcas de fabricante apresentaram um dinamismo de 1,5%, permitindo a estabilização deste sector, no qual as marcas da distribuição recuaram 2,4%.

No total do ano, esta categoria foi a mais dinâmica, com um crescimento de 3,1%. Neste período acumulado, as marcas de fabricante registaram um aumento de 4,1%, enquanto as marcas da distribuição cresceram 1,6%.

Na altura de Natal, o sector das bebidas manteve-se estável em relação a um período homólogo muito positivo. Ao contrário daquilo que aconteceu com as restantes categorias, foram as marcas da distribuição (+5,1%) que apresentam a performance mais positiva, uma vez que as marcas de fabricante desceram 0,2%.

No total do ano, as bebidas cresceram 2,8%, notando-se um dinamismo superior das MDD+PP (+4,3%). As marcas de fabricante também aumentaram 2,5%.

Neste Natal, a higiene do lar foi a categoria mais dinâmica, com um crescimento de 7,3% sobre um período homólogo já muito positivo. As marcas de fabricante (+9,8%) cresceram muito acima das marcas da distribuição (+2%).
Em 2018, o sector totalizou um aumento de 2,9%, que se deveu às marcas de fabricante (+4,4%). As marcas da distribuição registaram um ligeiro decréscimo de 0,4%.

Já a higiene pessoal apresentou, na época de Natal, o maior crescimento do ano (4,3%). As marcas da distribuição (+4,5%) e as marcas de fabricante (+4,3%) evoluíram ao mesmo ritmo.

No que diz respeito ao total do ano, as marcas da distribuição consolidaram o seu crescimento (+4,2%), sendo as principais responsáveis pelo dinamismo da categoria, enquanto as marcas de fabricante mantiveram-se estáveis (+0,4%). No total, assistiu-se a um crescimento de 1,3%.

Publicidade

Publicidade

Heineken disponibiliza equipamento que possibilita tiragem profissional de cerveja

Negócio de retalho da Sonae com vendas recorde em 2018