in

Devoluções automatizadas com o Inventory Quarantine

A reabertura gradual das lojas de roupa exige contar com um ambiente seguro, tanto para os funcionários como para os clientes. Em resposta às numerosas questões relacionadas com a gestão e a manipulação das devoluções nos provadores, nas lojas e nos centros de distribuição, a Checkpoint Systems lançou o Inventory Quarantine (IQ), um software compatível com qualquer tecnologia.

Esta solução SaaS pode funcionar de maneira autónoma ou integrada e ajuda as lojas a colocar automaticamente em quarentena o seu stock seguindo um “padrão de retenção” de várias horas, de modo a que os clientes que visitam a loja física ou a página online não possam ver esses artigos.

Assim, esta solução permite que as lojas possam processar as devoluções de acordo com as recomendações governamentais baseadas na persistência do coronavírus nas peças de roupa e seus embrulhos, para colocar à venda apenas aqueles artigos que se considerem seguros, de modo que se possa maximizar a faturação, ao mesmo tempo que se minimizam os riscos para a saúde.

Inventory Quarantine

O software de IQ identifica os artigos devolvidos nos centros de distribuição, nas lojas e até nos provadores e coloca em marcha um “relógio” virtual da quarentena. Uma vez ativado esse relógio, os artigos permanecem na designada “zona segura” pelo retalhista, até que finalize o período de quarentena. Quando esse período chegou ao fim, envia um alerta aos funcionários para que saibam que os artigos voltam a ser seguros para venda.

Segundo a Adobe Analytics, durante a pandemia causada pelo coronavírus, as vendas online de roupa aumentaram 34% e o ACI Worlwide calculou que numerosas categorias de venda online experimentaram um aumento até 74% desde março. Mas estes aumentos nas vendas conduzirão  a um claro aumento da taxa habitual de devoluções de roupa e calçado, que ronda os 30% a 40%, o que apresenta problemas logísticos para as lojas que devem manter em quarentena os artigos devolvidos.

Além disso, ao abrir as portas das lojas físicas ao público, os clientes podem devolver os seus artigos em pessoa, em vez de ser por correio. Se a isto se juntar os artigos devolvidos nos provadores, a incerteza sobre a possível contaminação da mercadoria nas lojas aumenta.

Devoluções

Os comércios são os responsáveis por garantir que a mercadoria devolvida ou manipulada por clientes não suponha um risco para a saúde dos demais. Por esse motivo, a Macy’s, Gap, Nordstrom e Mango já contam com planos para colocar em quarentena as peças que tenham sido experimentadas.

O software IQ da Checkpoint permite realizar o seguimento e minimizar o tempo que os artigos demoram a ser repostos e faz parte de um pacote de soluções automatizadas e compatíveis com qualquer tecnologia que ajuda as lojas a adotar medidas sanitárias e de segurança que ajudam a melhorar a confiança tanto dos funcionários como dos consumidores.

David Pérez de Pino, diretor geral da Checkpoint Systems para Espanha e Portugal, declara que “as compras, tal e como as conhecemos, sofreram uma mudança radical em todo o mundo. As lojas que contam com procedimentos que demonstrem que permitem garantir a segurança das pessoas serão as melhor consideradas pelos consumidores. As devoluções e os artigos dos provadores sempre foram um grande desafio para os comércios, mas esta situação ficou agravada pela Covid-19. Os clientes que utilizam os provadores têm 70% mais probabilidades de comprar, pelo que é muito importante abri-los de maneira segura o mais rapidamente possível. O Inventory Quarantine facilita esta tarefa, de modo que ajuda as lojas a minimizar o impacto da pandemia na sua faturação”.

Publicidade

Companhia Portugueza do Chocolate

Companhia Portugueza do Chocolate inaugura com nova imagem

Raw Grow Fruits

Fruta desidratada 100% natural sem aditivos nem conservantes